PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Fabricantes de turbinas eólicas enfrentam queda dos preços

Anna Hirtenstein

12/11/2018 13h04

(Bloomberg) -- A turbulência no setor de fabricação de turbinas eólicas começa a produzir vencedores e perdedores depois que a concorrência maior reduziu as margens. A energia eólica é uma das formas de geração de eletricidade de menor custo e está se tornando mais barata após a queda de mais de 50 por cento nos preços das turbinas na última década. Isso prejudicou o lucro e gerou perspectivas de mercado mais pessimistas de fabricantes de máquinas para energia eólica como General Electric e Vestas Wind Systems.

Algumas empresas estão resistindo melhor do que outras. A GE informou no mês passado que o lucro operacional de sua unidade de energias renováveis caiu 72 por cento no terceiro trimestre apesar de ter vendido mais unidades. A Vestas manteve a perspectiva para o ano cheio apesar de não ter cumprido algumas estimativas para os resultados no terceiro trimestre. A Siemens Gamesa Renewable Energy subiu após a divulgação de que os resultados da empresa hispano-alemã cumpriram as perspectivas para 2018. A Nordex divulgará resultados em 13 de novembro.

Após um período conturbado no ano passado depois de sua criação, a Siemens Gamesa está se recuperando colocando o foco em cortes de custos tanto das operações quanto das turbinas. A empresa teve uma receita no ano cheio de 9 bilhões de euros (US$ 10 bilhões) e mira uma economia de 2 bilhões de euros de 2018 a 2020. A empresa se formou em 2016 com a combinação dos ativos de fabricação para o setor eólico da Siemens e da Gamesa Corporación Tecnológica.

"Estamos simplificando nosso portfólio de produtos e ao mesmo tempo mirando a acessibilidade do produto", disse o CEO Markus Tacke. "Ou seja, uma combinação de melhora das capacidades do produto com redução simultânea dos custos."

Em todo o mundo, atualmente cerca de 65 governos leiloam projetos de energia renovável, o que marca o fim da prática antes usada como padrão de distribuir subsídios conhecidos como tarifas feed-in para qualquer um que quisesse construir um projeto. Os países atualmente planejam quanta energia renovável querem e a oferecem aos desenvolvedores, que competem por contratos com base no preço. Esses desenvolvedores estão pressionando todos os seus fornecedores para que reduzam os custos, a começar pelas fabricantes de turbinas eólicas.

"O mercado passou das tarifas feed-in para os leilões e, ao mesmo tempo, os volumes foram reduzidos, e é claro que isso criou um pouco de pressão, como vimos", disse o CEO da Vestas, Anders Runevad.

"Continuamos reduzindo o custo estrutural e de produto de nossos negócios, mas os preços continuam caindo mais rapidamente do que podemos executar pelo lado do custo", disse um representante da GE por e-mail. A queda do custo da energia eólica está levando a uma disparada das vendas porque mais governos estão criando mercados de energia limpa, segundo Runevad. As economias emergentes, que antes não tinham recursos para usinas eólicas, agora estão planejando e realizando leilões. "Por outro lado, com o aumento da competitividade da energia eólica, vemos mais volume", disse Runevad. "Vemos um alto nível de atividade e, portanto, uma receita sólida para o ano que vem."

--Com a colaboração de Brian Parkin e Thomas Gualtieri.