PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Arábia Saudita revisa tarifas aplicadas a expatriados: Fontes

Alaa Shahine, Vivian Nereim e Sarah Algethami

10/12/2018 15h59

(Bloomberg) -- A Arábia Saudita está revendo a política de cobrar taxas de trabalhadores expatriados depois que o aumento dos custos gerou problemas econômicos e contribuiu para o êxodo de estrangeiros, segundo quatro pessoas a par do assunto.

É improvável que as taxas sejam canceladas de uma vez, mas um comitê ministerial estuda modificá-las ou reestruturá-las, disse uma das pessoas. Espera-se uma decisão para daqui a algumas semanas, disseram duas pessoas. Todas falaram sob condição do anonimato porque as informações ainda não são públicas.

Awwad Alawwad, ministro de mídia saudita, negou que a taxa esteja sendo revisada, informou o Centro de Comunicação Internacional do governo por e-mail.

Anunciado em 2016 como parte de uma iniciativa para ampliar as receitas do governo não relacionadas com o petróleo -- um dos principais objetivos do plano de transformação econômica do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman --, as taxas são impopulares entre os empresários em um país acostumado com mão de obra estrangeira mais barata. Em parte, como resultado, centenas de milhares de estrangeiros deixaram o reino, o que prejudicou a economia, já em dificuldades, mas sem reduzir o desemprego na Arábia Saudita.

O objetivo da revisão é conciliar as necessidades fiscais do governo com a capacidade de contratação e crescimento do setor privado, disse uma das pessoas.

Após o recuo de 0,9 por cento da economia do reino no ano passado, as autoridades estão empenhadas em estimular o setor privado, que tem tido dificuldades para se adaptar a algumas das rápidas mudanças de política do príncipe herdeiro.

Uma pesquisa da Bloomberg com analistas mostrou que o produto interno bruto deverá crescer 2,2 por cento neste ano, avanço ainda modesto se comparado às taxas de crescimento de antes da queda dos preços do petróleo, em 2014, que estimulou o plano de reforma do príncipe Mohammed, chamado de "Visão 2030".

Há dois tipos de taxas para expatriados em vigor. A primeira, cobrada por cada dependente familiar de um trabalhador estrangeiro, foi implementada em julho de 2017. Começou em 100 riyals (US$ 27) por mês por dependente e deverá aumentar em 100 riyals a cada ano. O segundo tipo de taxa passou a ser aplicado em janeiro e é pago por empresas que empregam estrangeiros, em parte para incentivá-las a contratar sauditas.

Quando as cobranças entraram em vigor, muitos estrangeiros decidiram enviar suas famílias de volta para casa ou foram embora diretamente. Isso afetou uma ampla variedade de empresas que os atendiam, desde restaurantes até empresas de telecomunicações. Enquanto isso, apesar das partidas, o desemprego na Arábia Saudita subiu para 12,9 por cento, nível mais alto em mais de uma década.

Repórteres da matéria original: Alaa Shahine em Dubai, asalha@bloomberg.net;Vivian Nereim em Riyadh, vnereim@bloomberg.net;Sarah Algethami em Riad, salgethami@bloomberg.net

PUBLICIDADE