PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Bulls no purgatório com apenas três emergentes sobrevendidos

Ben Bartenstein

12/12/2018 14h22

(Bloomberg) -- O coro dos otimistas com os mercados emergentes pode estar crescendo diante dos preços de ativos mais atrativos, porém um indicador técnico amplamente seguido sinaliza mais dor à frente após a onda de venda de ativos deste ano.

Enquanto as bolsas estão presas em terreno baixista e as moedas da Argentina, Índia, Turquia e Brasil bateram recorde de baixa neste ano, apenas três índices de ações emergentes - dos relativamente pequenos mercados dos Emirados Árabes Unidos, Jordânia e República Tcheca - estão sendo negociados em nível sobrevendido, de acordo com o Índice de Força Relativa (IFR) de 14 dias. Nenhuma moeda ganha distinção, a qual os operadores usam para identificar ativos que foram excessivamente punidos e que estão prontos para engatar recuperação.

O fato de que a maioria dos ativos de mercados emergentes atualmente são negociados no meio da faixa do IFR pode ser um sinal preocupante para os investidores. Afinal de contas, se não há muitos ativos sobrevendidos, uma conclusão óbvia é que eles não caíram o suficiente.

"Prever um rali de emergentes neste ambiente é complicado", disse Sonja Gibbs, diretora sênior do Instituto de Finanças Internacionais, em Washington. "Do lado das ações, os analistas vêm cortando as estimativas de lucros, enquanto os títulos não parecem tão baratos quanto nas mínimas anteriores."

Em meados de janeiro de 2016, operadores de mercados emergentes focados nos níveis do IFR poderiam ter identificado condições para um forte rali. Naquela época, 19 índices de ações de nações em desenvolvimento e nove de 24 moedas estavam sobrevendidos.

Dos 28 ativos considerados sobrevendidos no piso de baixa daquele mês, 19 dispararam durante o ano seguinte em moeda local.

Para contatar o editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net