PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

EUA abrem caminho legal para jogadores de beisebol de Cuba

Maria Jose Valero e Eben Novy-Williams

20/12/2018 15h56

(Bloomberg) -- Cuba fez um acordo com a Major League Baseball, principal liga americana do esporte, que abre para seus jogadores um caminho legítimo para atuar profissionalmente em times dos EUA.

"É um dia histórico", afirmou o embaixador de Cuba nos EUA, José Ramon Cabanas, pelo Twitter, acrescentando que as duas nações podem chegar a "pactos significativos" quando "negociam como iguais, com respeito."

Pode demorar para o significado histórico do acordo assinado hoje se manifestar, mas para os jogadores, o impacto é tangível.

A Federación Cubana de Béisbol (FCB) se tornará a quarta liga profissional estrangeira a fazer um acordo dessa natureza, seguindo os passos das ligas do Japão, Coreia e China, segundo comunicado enviado pela Major League Baseball (MLB). A FCB receberá comissão de qualquer clube da MLB que contratar um jogador cubano nos termos do novo pacto.

"O objetivo do acordo, produto de anos de negociação com a FCB, é acabar com o perigoso tráfico de jogadores cubanos que desejam jogar beisebol profissional nos EUA, uma prática apurada por documentos jurídicos e pela imprensa, e que causou sofrimentos para jogadores cubanos e suas famílias", segundo o comunicado da MLB.

Tradicionalmente, jogadores de elite nascidos em Cuba que queriam atuar em times da MLB precisavam desertar e chegar em solo americano, frequentemente correndo perigos.

Leonys Martin, jogador do Cleveland Indians, foi sequestrado no México, a caminho dos EUA. José Abreu, jogador do Chicago White Sox, rasgou e engoliu um passaporte falso durante o voo para os EUA. Outros jogadores contam histórias parecidas.

"Saber que a próxima geração de jogadores cubanos de beisebol não enfrentará o inimaginável como seus antecessores é a realização de um sonho impossível para todos nós", afirmou Abreu no comunicado da MLB. "O jogador cubano de beisebol finalmente não precisará lidar com a exploração por traficantes e agências inescrupulosas."

Josefina Vidal, embaixadora cubana no Canadá, citou o pacto como reconhecimento da excelência de seu país no esporte promovido por FidelCastro. "Finalmente teremos bom beisebol sem tráfico humano", escreveu no Twitter.

"O acordo da MLB com a FCB é uma enorme vitória para os jogadores cubanos de beisebol, suas famílias e seus fãs nos dois países", declarou Carlos Gutierrez, que foi presidente da Kellogg e secretário de Comércio durante o governo do presidente George W. Bush e se identifica como "americano com orgulho, de herança cubana."

Repórteres da matéria original: Maria Jose Valero em N York, mvalero3@bloomberg.net;Eben Novy-Williams em N York, enovywilliam@bloomberg.net