PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Pentágono atrasa decisão sobre suposta demissão por reclamação

Tony Capaccio

12/02/2019 15h07

(Bloomberg) -- O Pentágono ainda não tomou nenhuma medida disciplinar 13 meses depois de o inspetor-geral ter respaldado as acusações de retaliação da Leidos Holdings a uma mulher que havia reclamado do ambiente de trabalho hostil em uma subcontratada.

A denunciante foi retirada de um subcontrato subsequente, em abril de 2016, após registrar queixas no Pentágono e na Leidos de que um supervisor fez "comentários sexuais e raciais inadequados para ela", segundo o relatório com vários trechos censurados de um inspetor-geral, de 3 de janeiro de 2018. "Concluímos que" a Leidos "tinha motivos para excluí-la", segundo o relatório.

O inspetor-geral recomendou que o então secretário de Defesa, Jim Mattis, "considere uma medida apropriada contra a Leidos", como ordenar que a empresa "pague indenização por danos, incluindo salários atrasados, benefícios e outros termos e condições de emprego" que teriam sido aplicados se ela tivesse sido chamada para o contrato adicional.

Indagado por que o caso continua no limbo, o tenente-coronel da Força Aérea Mike Andrews, porta-voz da chefe de aquisição de armas Ellen Lord, disse, por e-mail: "Como este caso específico está atualmente sob análise jurídica, o departamento não comentará a conclusão do DoD OIG (Escritório do Inspetor-Geral do Departamento de Defesa). O departamento continua comprometido a garantir que qualquer pessoa possa realizar denúncias sem medo de represálias ou de retaliação."

Melissa Lee Koskovich, vice-presidente sênior da Leidos, disse por e-mail que "dada a natureza atual dessa questão jurídica, não podemos comentar".

'Diversidade e inclusão'

Em declaração de política em seu website, a empresa com sede em Reston, Virgínia, afirma acreditar "que diversidade e inclusão criam equipes coesas e colaborativas" e moldam "nossa maneira de recrutar profissionais". A revista Forbes colocou a Leidos como número 159 na lista do ano passado dos 250 "Melhores Empregadores em Diversidade".

O Escritório do Inspetor-Geral continua "sustentando nosso relatório e nossa conclusão de que a Leidos" retaliou a mulher que reclamou, disse o porta-voz Bruce Anderson, por e-mail. "O Departamento de Defesa ainda analisa qual decisão tomar em relação" à conclusão, disse.

O relatório do inspetor-geral excluiu nomes e cargos da denunciante, da pessoa sobre a qual ela se queixou e da subcontratada para a qual ela trabalhava.

A Leidos é a 16ª entre as contratadas de defesa dos EUA, com US$ 2,8 bilhões em obrigações contratuais de defesa em 2017, segundo dados compilados pela Bloomberg Government. A empresa oferece ao Pentágono e ao Departamento de Segurança Interna conhecimentos científicos, de engenharia, de integração de sistemas e de cibersegurança, além de serviços técnicos.