PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Mercado de lítio comemora projeção de demanda da maior produtora

Laura Millan Lombrana e Jack Kaskey

22/02/2019 11h42

(Bloomberg) -- A maior produtora de lítio do mundo acalmou os investidores em relação a um excesso de oferta e a uma demanda chinesa menor pelo mineral usado para alimentar veículos elétricos, o que fez as ações subirem em todo o setor.

Os lucros da Albemarle no quarto trimestre ultrapassaram as estimativas dos analistas e a empresa projeta que a demanda global por lítio crescerá 21 por cento ao ano e que o mercado continuará apertado por anos com a ascensão da fabricação de carros elétricos e baterias de grande escala. As ações da empresa tiveram a maior alta em quase três anos na quinta-feira.

A projeção surge pouco mais de uma semana após uma forte queda das ações do setor quando a produtora Livent divulgou resultados decepcionantes e afirmou que os clientes da China estavam adiando compras. A Albemarle afirmou que não vê evidências de desaceleração, já que as vendas de veículos de nova energia dobraram na China no ano passado e há indícios de que a demanda por carros elétricos continuará sendo beneficiada por programas de incentivo do governo no país asiático.

A projeção da Albemarle para 2019 ajuda a diminuir o medo dos investidores em relação a uma queda nos preços do lítio causada por excesso de oferta no mercado, disse James Sheehan, analista da Suntrust Robinson Humphrey, em nota. O aumento de 4 por cento dos preços no quarto trimestre "respalda nossa tese de que a Albemarle é capaz de manter os preços estáveis".

As ações da Albemarle chegaram a subir 11 por cento, maior ganho intradiário desde maio de 2016. Foi a empresa de melhor desempenho do S&P 500 Index na quinta-feira. A Sociedad Química y Minera de Chile, com sede em Santiago, que é a segunda maior produtora mundial, subiu 2,4 por cento, segundo ganho consecutivo. As ações da Tianqi Lithium, a terceira maior, registraram o maior preço de fechamento deste ano.

A Albemarle, que tem sede em Charlotte, na Carolina do Norte, EUA, e produz cerca de um terço do lítio do mundo, estima que os preços se manterão ou subirão neste ano. Os preços do carbonato de lítio, a forma mais comum do mineral, caíram em relação às altas históricas, mas continuam mais de duas vezes acima do nível de quatro anos atrás, segundo dados mensais da Benchmark Mineral Intelligence.

As vendas globais de veículos elétricos aumentaram 98 por cento durante o quarto trimestre, disse o diretor financeiro da Albemarle, Scott Tozier, em teleconferência com analistas. O número de híbridos plug-in disponíveis e modelos elétricos anunciados pelas montadoras em 2021 cresceu quase 40 por cento desde meados de 2017. Como resultado, a demanda por carbonato de lítio equivalente será de cerca de 475.000 toneladas em 2021 e de 1 milhão de toneladas em 2025, disse.

Grandes produtoras como Albemarle, SQM e Tianqi continuarão dominando um espaço que pode parecer excessivamente abastecido neste ano com a chegada de capacidade nova, disse o CEO da Albemarle, Luke Kissam, a analistas durante a conferência. Como as novas tecnologias exigem mais lítio, o mercado continuará apertado nos próximos anos, disse.

"O impulso em torno dos veículos elétricos continuou acelerando", disse Tozier. "A curva da demanda subiu e se acentuou", disse, em referência ao lítio.

Repórteres da matéria original: Laura Millan Lombrana em Santiago, lmillan4@bloomberg.net;Jack Kaskey em Houston, jkaskey@bloomberg.net

PUBLICIDADE