PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Shell quer expandir posição em ativos de xisto nos EUA

Kelly Gilblom

26/02/2019 15h34

(Bloomberg) -- A Royal Dutch Shell pretende expandir seus ativos de petróleo de xisto na bacia do Permiano, nos EUA, mas não se desviará de seus planos de investimentos atuais para isso.

"A longo prazo, vamos procurar ampliar nossa posição na bacia do Permiano", disse o diretor de exploração e produção, Andy Brown, em entrevista, durante a conferência IP Week, em Londres. "Nossa posição operacional é muito pequena" devido à especialização e à capacidade da Shell de perfurar poços baratos.

Até pouco tempo atrás, a maioria das gigantes europeias do setor de energia detinha posições relativamente modestas na região de petróleo de xisto mais produtiva dos EUA. No ano passado, a BP expandiu significativamente sua presença por meio da aquisição de ativos da BHP Billiton. Segundo fontes, a Shell está se associando a um fundo de pensão canadense em uma possível aquisição da Endeavor Energy Resources, em um acordo avaliado em US$ 8 bilhões.

Brown preferiu não comentar se a Shell tem algum interesse na Endeavor, mas deu um forte indício do apetite da empresa por negócios dentro dos limites estabelecidos por seus planos de investimentos atuais.

"Acho que nunca negamos que tínhamos uma boa visão sobre os ativos da BHP, mas sempre manteremos a disciplina", disse Brown. "Tudo o que fizermos estará dentro de nossa estrutura financeira."

O xisto é um bom complemento para alguns dos investimentos de longo prazo da Shell, como projetos integrados de gás que compensam ao longo de décadas, disse Brown.

"O fluxo de caixa surge bastante rapidamente depois que você investe" com uma taxa de retorno elevada, disse. Há também a questão da flexibilidade "de poder aumentar ou reduzir o investimento no xisto com base nos fundamentos do mercado".