PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Etsy tenta reduzir impacto ambiental com compensação de carbono

Emily Chasan

27/02/2019 15h26

(Bloomberg) -- Aquele colar personalizado ou artesanato elegante que você compra na Etsy agora vem com a promessa de que parte do combustível consumido para levá-lo à sua porta está sendo compensado por investimentos ecológicos.

A empresa de comércio eletrônico com sede em Nova York anunciou nesta quarta-feira que começará a comprar compensações de carbono para gerenciar o impacto ambiental provocado pelos vendedores e compradores que despacham itens comercializados em seu site. A Esty é a primeira empresa de comércio eletrônico dos EUA a tomar essa iniciativa. Com as compensações de carbono, uma empresa que emite gases causadores do efeito estufa pode comprar créditos de um projeto ecológico que reduz o carbono na atmosfera.

"O frete gratuito com que estamos acostumados não sai de graça", disse Chelsea Mozen, líder de sustentabilidade da Etsy. "Quando as pessoas pensam no impacto ambiental do comércio eletrônico, elas imediatamente pensam nas embalagens - mas as emissões do frete têm um grande custo ambiental."

A Etsy, que calcula suas emissões desde 2013, afirmou que compradores e vendedores em seu site geraram 135.459 toneladas de equivalentes de dióxido de carbono com o frete no ano passado, ou cerca de 98 por cento da pegada total de carbono da empresa. Essa é a mesma quantidade de emissões da eletricidade usada para abastecer mais de 23.000 residências durante um ano.

Para calcular o valor, a empresa analisou o peso dos pacotes e as distâncias entre compradores e vendedores. Em seguida, acrescentou uma estimativa de emissões adicionais geradas por rotas indiretas, disse Mozen. A empresa informou que também contratou a auditora PricewaterhouseCoopers para verificar seu trabalho.

A Etsy informou apenas que pretende investir várias centenas de milhares de dólares na iniciativa neste ano. A companhia pretende ajudar a financiar projetos destinados a, por exemplo, proteger florestas, gerar energia eólica e desenvolver autopeças de menor emissão. A empresa estimou que o custo para os consumidores dessas compensações será menor que um centavo de dólar por pacote.

A iniciativa chega em um momento em que varejistas da internet começam a prestar mais atenção ao custo ambiental do frete rápido e gratuito, uma opção cada vez mais oferecida com as compras. Mais de 100 bilhões de pacotes por ano devem ser despachados em todo o mundo até 2020, segundo a Pitney Bowes, e essa taxa vem crescendo de 17 por cento a 28 por cento ao ano.

A Etsy afirmou que estima que todo o setor de comércio eletrônico dos EUA gera cerca de 55.000 toneladas de equivalentes de dióxido de carbono por dia com o frete.

As compensações de carbono costumam ser vistas como uma forma indireta de diminuir as emissões de carbono, porque o comprador de compensações não reduz efetivamente a queima de combustíveis fósseis. A Etsy afirmou que sua estrutura encarrega compradores e vendedores de escolher os métodos de envio.

"Embora não controlemos diretamente o frete, sentimos que somos responsáveis porque habilitamos isso", disse Mozen. "Queremos que os consumidores saibam como o comércio eletrônico pode se responsabilizar."