PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Nvidia aposta em centro de dados com compra da Mellanox

Ian King

11/03/2019 12h11

(Bloomberg) -- A Nvidia decidiu comprar a fabricante de chips Mellanox Technologies por US$ 6,9 bilhões, obtendo com isso conhecimentos para avançar no crescente mercado de componentes para centros de dados.

A Nvidia, com sede em Santa Clara, Califórnia, pagará US$ 125 por ação em dinheiro pela empresa americana e israelense, que fabrica os chips usados para acelerar o fluxo de informações entre servidores informáticos. Isso representa um prêmio de 14 por cento em relação ao fechamento da sexta-feira, US$ 109,38, e as ações da empresa-alvo subiram nas negociações antes da abertura do mercado nesta segunda-feira.

A maior aquisição da história da Nvidia tem como objetivo acelerar o impulso de uma das iniciativas mais bem-sucedidas do CEO, Jensen Huang. O fundador da empresa construiu um negócio multibilionário em menos de três anos ao convencer proprietários de centros de dados de que seus chips gráficos são a solução certa para processar os volumes cada vez maiores de informação que são necessários para o trabalho da inteligência artificial, como o reconhecimento de imagens.

"O centro de dados nunca foi tão importante como agora", disse Huang em entrevista. "Essa combinação nos permitirá inovar com mais rapidez."

A Nvidia venceu um processo de licitação, derrotando rivais como a Intel, segundo fontes. O valor de mercado da Mellanox, agora em cerca de US$ 5,9 bilhões, começou a subir no ano passado quando investidores ativistas assumiram participações e surgiram especulações de que a companhia estava à venda. As ações da empresa, que tem sede em Yokneam, Israel, e em Sunnyvale, Califórnia, aumentaram 66 por cento desde outubro e 18 por cento só neste ano.

O processo de aquisição foi "muito competitivo", disse Huang. Uma vez concluído, espera-se que a combinação agregue imediatamente lucro e fluxo de caixa livre, afirmou a Nvidia.

O acordo poderia indicar uma retomada da consolidação no setor de semicondutores, de US$ 470 bilhões, reformulado nos últimos cinco anos porque as empresas passaram a se combinar para ganhar escala a fim de combater o aumento dos custos e o encolhimento das listas de clientes.

A tecnologia da Mellanox é crucial para transferir informações de um componente para outro, tanto dentro dos computadores quanto entre distintos computadores. Os chips que direcionam o tráfego se tornaram cada vez mais importantes à medida que as redes corporativas e os provedores de serviços em nuvem tentam lidar com a crescente abundância de dados.

Várias empresas têm interesse em adicionar essas capacidades a seus próprios produtos, na tentativa de se tornarem mais atraentes para os grandes compradores de servidores e de outras infraestruturas informáticas, como Google, da Alphabet, Amazon e Microsoft.

A Nvidia é a maior fabricante dos chips gráficos usados por jogadores de computador. Esses chips se destacam por realizar diversos cálculos pequenos simultaneamente e em alta velocidade. Sob o comando de Huang, a empresa desenvolveu a linguagem de programação Cuda, que hoje é amplamente adotada pelo setor e ajuda a ajustar chips para o processamento de inteligência artificial. As vendas da unidade da Nvidia que atende a esse mercado triplicaram nos últimos três anos.

A transação agora precisa ser aprovada pelos órgãos reguladores. Esse processo se tornou mais complicado por causa da briga comercial dos EUA com a China. O governo Trump barrou acordos por seus receios com as ambições da China de adquirir novas tecnologias de semicondutores, e Pequim - maior consumidor mundial de chips-, por sua vez, dificultou a obtenção de sua aprovação para transações.