PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Pernod estuda vender Jacob's Creek e Campo Viejo: Fontes

Ruth David e Thomas Buckley

14/03/2019 11h40

(Bloomberg) -- A Pernod Ricard está estudando vender sua divisão de vinhos, que inclui os rótulos Jacob's Creek, da Austrália, e Campo Viejo, da Espanha, segundo pessoas a par do assunto.

A segunda maior destilaria do mundo manteve discussões preliminares a respeito de uma possível venda da unidade, que registra cerca de US$ 500 milhões em receitas, disseram as pessoas. As deliberações estão em fase inicial e a Pernod pode acabar decidindo manter o negócio, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas por discutirem informações privadas.

"Por uma questão de política, a empresa não comenta rumores ou especulações", afirmou a Pernod Ricard por e-mail.

A fabricante da vodca Absolut começou a estudar as opções para a divisão antes de virar alvo da Elliott Management, de Paul Singer, disse uma das pessoas. O investidor ativista revelou uma participação em dezembro e exigiu 500 milhões de euros (US$ 565 milhões) em cortes de custos na Pernod Ricard, atrás apenas da Diageo no setor de destilados.

"O grupo não sofre nenhuma pressão externa e já mencionou diversas vezes que pretende manter a gestão dinâmica de seu portfólio", afirmou a Pernod Ricard por e-mail.

Menos rentável

A operação de vinhos da empresa com sede em Paris é menos rentável do que seu leque de marcas de destilados. Apesar de a Pernod Ricard ter adquirido vinhedos como o Kenwood na Califórnia e o Helan Mountain na região chinesa de Ningxia nos últimos anos, o CEO Alexandre Ricard tem preferido expandir no ramo de destilados artesanais, de crescimento mais rápido, comprando por exemplo o gim Monkey 47 e o mescal Del Maguey.

"Para mim, isso faz muito sentido do ponto de vista estratégico, porque é uma parte relativamente pequena do grupo, com menor crescimento e menor lucratividade", disse Trevor Stirling, analista da Sanford C. Bernstein.

A empresa também vendeu outros produtos que não considera fundamentais para sua estratégia, como a linha de brandies Domecq e o uísque escocês Paddy.

O ramo de vinhos é mais fragmentado do que os setores de cerveja e destilados, nos quais as empresas vêm impulsionando uma consolidação nas últimas décadas para conseguir vantagens na distribuição e nos custos de fornecimento. Em 2016, a Diageo vendeu sua divisão de vinhos para a Treasury Wine Estates, a produtora australiana do Penfolds, por US$ 600 milhões.

Repórteres da matéria original: Ruth David em London, rdavid9@bloomberg.net;Thomas Buckley em Londres, tbuckley25@bloomberg.net