PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Energia solar conquista lugar de geração poluente pelo mundo

Brian Eckhouse

24/04/2019 13h08

(Bloomberg) -- Por duas décadas, o carvão foi extraído de uma mina em Bent Mountain, no leste de Kentucky. Mas em um movimento surpreendente no coração da atividade carvoeira dos EUA, uma rival, a energia solar, está se preparando para assumir seu lugar.

De Appalachia nos EUA a Queensland na Austrália e Chernobyl na Ucrânia, fazendas solares e eólicas são desenvolvidas ou construídas em locais que normalmente não estão associados à energia limpa e em algumas regiões, por muito tempo, resistentes a essa alternativa.

Instalar painéis solares nos "brownfields", instalações ou terras agora ociosas que abrigavam minas, usinas elétricas responsáveis por altas emissões ou afetadas por desastres nucleares, pode ser mais barato do que descontaminar o solo e transformá-lo em uma fazenda. Ao mesmo tempo, existe a perspectiva de transformar inimigos ambientais em amigos.

"Estamos essencialmente transformando tudo isso em ativos", disse Chad Farrell, presidente da Encore Renewable Energy, uma incorporadora de Vermont que está pensando em instalar painéis solares em reservatórios de cinzas de carvão em Appalachia. "Não se consegue um grande ativo gerador de receita em um antigo aterro sanitário".

A energia solar já está estabelecida na zona nuclear de Chernobyl, em uma grande usina a carvão no Canadá e em aterros sanitários e outros locais abandonados na Nova Inglaterra, onde as energias renováveis são comuns, mas a terra é escassa.

Enquanto isso, a BHP, a maior empresa de mineração do mundo, está trabalhando em licenças e planos de engenharia para transformar locais no Arizona e no Novo México em instalações solares e de armazenamento.

As regiões, há muito dependentes de fontes tradicionais de energia para empregos e receita tributária, estão cada vez mais se voltando para a energia solar e eólica, em um momento em que a indústria do carvão está em dificuldades. A energia dos EUA produzida pela queima de carvão diminuiu 6,3% em 2018, porque quase 13 GW de usinas de carvão foram fechadas, de acordo com a Bloomberg. Essa estatística só perde para 2015, quando 15 GW de usinas movidas a carvão foram fechadas.

"É terra que ninguém mais quer"", disse Jenny Chase, analista da Bloomberg em Zurique. Em Queensland, a Genex Power, já está produzindo energia suficiente para quase 26.500 casas de uma fazenda solar de 50 MW na antiga mina de ouro de Kidston, onde o metal foi descoberto no início de 1900 e as operações finalmente fechadas em 2001.

No próximo ano, uma modesta fazenda solar de 3,5 MW no sudoeste da Virgínia irá substituir uma mina que foi fechada em 1957. A Sun Tribe Solar está colaborando no projeto com vários grupos, incluindo o grupo ambiental Appalachian Voices, no projeto em Wise County.

"A terra está desfigurada pelas indústrias extrativas que foram o principal motor econômico", disse Chelsea Barnes, gerente de um novo programa econômico da Appalachian Voices. "É uma oportunidade importante para mostrar à região que ainda pode ser produtora de energia, mas de uma forma que não degrada a terra e polua o ar".

--Com a colaboração de David Stringer.

PUBLICIDADE