PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Briga tecnológica de Trump com China é para liderar 5G, diz CEO

Helene Fouquet e Rudy Ruitenberg

08/01/2020 12h26

(Bloomberg) -- Para Paul Boudre, a ofensiva do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contra empresas de telecomunicações chinesas tem mais a ver com a corrida pela supremacia tecnológica do que com espionagem.

Boudre, presidente da Soitec, fabricante francesa de materiais semicondutores usados em equipamentos 5G, automóveis, computação em nuvem e infraestrutura de TI, diz que as medidas de Trump visam permitir antes de tudo que as empresas americanas possam alcançar a China.

"Trump é o emissário dizendo: 'se nada for feito, seremos superados'. É por isso que está tentando colocar um freio nos avanços conquistados pela China", disse Boudre em entrevista em Paris na terça-feira.

Com a era do "tudo conectado", a corrida pela vantagem tecnológica se acelera. Trump tem repetidamente criticado a China e suas empresas, como a Huawei Technologies, alegando espionagem industrial e roubo de propriedade intelectual. O presidente dos EUA limitou o acesso de companhias chinesas ao mercado e a fornecedores americanos e pressionou aliados do Japão à Holanda a reverem suas políticas em relação ao gigante asiático.

O empurrão do presidente e a política de infraestrutura estão levando empresas dos EUA, como Cisco, Qorvo e Skyworks Solutions, a acelerar as pesquisas, uma medida que poderia permitir que concorrentes dos EUA lançassem tecnologias 5G potencialmente em 2021, disse Boudre.

"A tecnologia se tornou política", disse.

Redes de fornecedores

Os EUA teriam tentando impedir a venda de tecnologia da fabricante de chips ASML para a China ao compartilhar um relatório de inteligência confidencial com o governo holandês, segundo informado na segunda-feira pela Reuters, que citou pessoas não identificadas a par do assunto.

A Soitec, que possui fábricas e licenças para produzir o substrato para aparelhos e infraestrutura na França, Cingapura e China, pode fornecer o material sem conexões com o país asiático se solicitado, disse Boudre, acrescentando que essas demandas não foram feitas por seus clientes.

"Com Trump, o que aconteceu foi uma mudança das cadeias de fornecedores", disse. "A Huawei não dependerá mais exclusivamente da Qorvo, Skyworks, Qualcomm, porque existe um risco. Então desenvolveu relações com a Murata, STMicro e outros."

Os eventos no mercado 5G dos EUA neste ano e no próximo serão um teste para determinar se as políticas de Trump foram frutíferas, disse Boudre.

"Claramente, agora estão sendo implementadas duas tecnologias", com o 5G da China baseado no 4G, enquanto o 5G dos EUA seria um desenvolvimento chamado "onda milimétrica". A tecnologia dos EUA pode ganhar escala em 2021 com a Cisco na liderança, disse Boudre. O chip de modem da Qualcomm, com tecnologia de onda milimétrica, deve chegar ao mercado em 2020.

--Com a colaboração de Caroline Connan e Francine Lacqua.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Helene Fouquet em Paris, hfouquet1@bloomberg.net;Rudy Ruitenberg Paris, rruitenberg@bloomberg.net