PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Governo Trump estuda adiar pagamento de tarifas por 90 dias

Jonathan Ernst/Reuters
Imagem: Jonathan Ernst/Reuters

Jenny Leonard

25/03/2020 06h53

O governo Trump estuda um possível adiamento de pagamentos de tarifas sobre mercadorias importadas do mundo todo por três meses, disseram pessoas com conhecimento das negociações.

As discussões nos últimos dias sobre a suspensão de tarifas para uma ampla variedade de mercadorias envolveram a Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP, na sigla em inglês) e outras agências governamentais e provocaram uma reação de associações domésticas.

Em carta ao comissário interino da CBP, Mark Morgan, a Coalizão por uma América Próspera expressou preocupação de que a medida esteja sendo considerada.

"Em um momento de dificuldade financeira e inquietação decorrentes do novo coronavírus - a CBP não deve reintroduzir mercadorias comercializadas injustamente" para causar mais problemas econômicos aos trabalhadores americanos "por causa dos esforços de lobby de empresas apátridas", escreveu o grupo na terça-feira. Segundo a associação, a iniciativa apenas agravará os problemas financeiros de "incontáveis americanos".

Autoridades do governo disseram que o presidente Donald Trump disse que não há necessidade de alívio de tarifas e que não é algo que está sobre a mesa.

Em meio à turbulência na cadeia de suprimentos e à rápida queda da demanda de consumidores, muitas pequenas e médias empresas foram desproporcionalmente afetadas pelo surto de coronavírus e aguardam o apoio do governo com um pacote de estímulos que está na fase final de negociação com o Capitólio.

O presidente Trump resistiu aos pedidos de cortes de tarifas que se tornaram cada vez mais intensos com o crescente impacto econômico da pandemia. Na semana passada, ele deixou claro que "não há razão" para a suspensão de tarifas, mesmo quando vários setores sofrem com a paralisação dos negócios.

Adiamento

Os problemas de fluxo de caixa enfrentado pelas empresas devido à crise da saúde pública e o peso de taxas adicionais de tarifas devem ser considerados, escreveu a senadora democrata Dianne Feinstein, da Califórnia, em carta ao secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, que está sendo distribuída para assinaturas.

"Neste momento em que o Congresso indicou claramente que o adiamento dos impostos dos empregadores deveria fazer parte da resposta dos EUA à crise, o Departamento do Tesouro deveria instruir que todas as tarifas sejam adiadas por pelo menos 90 dias e, de maneira mais ampla, até que as empresas que as pagam possam emergir da crise em curso", de acordo com uma cópia da carta vista pela Bloomberg.

Mas alguns setores que enfrentam forte concorrência do exterior dizem que o adiamento pode prejudicar os negócios.

"Essa abordagem pode muito bem ser um golpe mortal para fabricantes domésticos que simplesmente tentam manter os negócios e para trabalhadores que lutam para sobreviver", disse Michael Wessel, que trabalha com a United Steelworkers Union e outras associações dos EUA. "Aliviar importadores por um período tão longo sem ter que pagar tarifas neste momento crítico pode ser a diferença entre sobrevivência e falência."

©2020 Bloomberg L.P.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Economia