PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

EUA investigam apostas de operadores sobre Rússia na Opep+

Ben Bain e Matt Robinson

23/04/2020 09h18

(Bloomberg) -- Os EUA investigam se operadores com informações privilegiadas sobre as negociações da Rússia com outros países produtores de petróleo ganharam centenas de milhões de dólares com apostas ilegais nas oscilações dos preços da commodity, segundo duas pessoas com conhecimento direto do assunto.

A investigação da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC, na sigla em inglês) está focada em saber se aspectos da estratégia que o governo russo adotou no mês passado com outros membros da coalizão Opep+ vazaram para participantes do mercado, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas. Pelo mesmo motivo, a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (FCA, na sigla em inglês) também investiga operações suspeitas em contratos futuros, disse uma das pessoas.

As investigações são anteriores às oscilações na segunda-feira que empurraram os preços do petróleo dos EUA para território negativo.

Embora os nomes dos operadores envolvidos não possam ser identificados, eles não são autoridades do governo russo, disseram as pessoas. Ainda assim, as entidades que fizeram as apostas empregam indivíduos com vínculos com o Kremlin, de acordo com uma das pessoas. As pessoas investigadas não são cidadãos dos EUA, disse outra pessoa. A CFTC examina principalmente transações envolvendo contratos WTI da CME Group que venceram antes da queda dos preços de segunda-feira.

Porta-vozes da CFTC e da FCA não quiseram comentar. Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin, também não quis fazer comentários.

Negociações russas

Os mercados de petróleo estão em queda livre desde março, sob o efeito da destruição da demanda pela pandemia do coronavírus e da guerra de preços entre Rússia e Arábia Saudita. A preocupação de que traders tenham obtido informações ainda não divulgadas sobre a posição da Rússia durante esse impasse está no centro das investigações dos órgãos reguladores, disseram as pessoas. As pessoas sob investigação não tinham histórico de negociação de contratos futuros, segundo as fontes.

A CFTC é apoiada na investigação por outras agências, como o FBI e o Departamento de Estado, disse uma das pessoas.

A possibilidade de que operadores de contratos futuros possam se beneficiar de informações privilegiadas levou congressistas a incluir um dispositivo na Lei Dodd-Frank de 2010, que tornou ilegal lucrar com informações vazadas do governo. Recentemente, a CFTC se concentrou em identificar o uso de informações privilegiadas. Em 2018, a agência anunciou a criação de uma força-tarefa especializada para investigar esse tipo de conduta.

©2020 Bloomberg L.P.