PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Musk defende reabertura da economia com ameaças da Tesla

Craig Trudell

11/05/2020 15h06

(Bloomberg) -- A Tesla afirma que o reinício das operações em meio à pandemia de coronavírus não torna a empresa uma exceção e que tampouco navega contra a corrente.

Mas a abordagem da crise de saúde pelo diretor-presidente da empresa pode ser classificada de várias formas, menos de comum. A Tesla abriu um processo contra um condado que impede a reabertura de montadora. Elon Musk chamou a autoridade de saúde local - um ex-professor de doenças infecciosas com mestrado em saúde pública - de "não eleito e ignorante". O executivo ameaçou transferir a sede da Tesla da Califórnia e alertou que toda a linha de produção também pode deixar o estado.

A piora no fim de semana foi sem precedentes nos três meses desde que a primeira morte por Covid-19 foi confirmada nos EUA - um morador do condado de Santa Clara, sede da Tesla e vizinha de sua fábrica em Fremont, Califórnia. Com o número de mortos no país perto de 80 mil, Musk surge como a voz mais destacada da América corporativa, defendendo a reabertura da economia.

"Não estou brincando", tuitou o bilionário de 48 anos depois que a Tesla entrou com a ação contra o condado de Alameda. "O comportamento absurdo e clinicamente irracional que viola as liberdades civis constitucionais, além do mais por autoridades *não eleitas * do condado, sem responsabilidade, precisa parar."

Reinício automático

A Tesla de fato pode argumentar que não é exceção na indústria automobilística. A Ford Motor, Fiat Chrysler, Toyota e outras também programaram datas para reiniciar as operações, mas tiveram que cancelar os planos devido aos pedidos de confinamento.

Mas nenhuma outra montadora além da Tesla atacou publicamente autoridades de saúde locais ou ameaçou estados devido às medidas de confinamento que praticamente paralisaram a produção de veículos na América do Norte por mais de um mês.

De volta ao trabalho

A Tesla lançou um "Manual de Retorno ao Trabalho" de 38 páginas no sábado, estabelecendo os protocolos de segurança que adotará em todas as unidades. Embora a empresa desinfecte as áreas de trabalho, imponha precauções de distanciamento social e forneça materiais de proteção individual, entre outras medidas, o documento não inclui nenhum plano de testar trabalhadores além de verificar a temperatura.

Autoridades de Alameda disseram que mais testes precisam ser disponibilizados e que a contagem de casos do Covid-19 precisa cair antes que se sintam confortáveis para a próxima fase de reabertura.

A Tesla sinalizou que pode desconsiderar a ordem da Alameda, dizendo em publicação wm blog no sábado que havia "iniciado o processo de retomada das operações". Vários funcionários de Fremont compartilharam mensagens de texto com a Bloomberg News, nas quais os supervisores os convocavam de volta à fábrica.

"Nossos funcionários estão empolgados em voltar ao trabalho, e estamos fazendo isso com a saúde e a segurança em mente", afirmou a empresa.

©2020 Bloomberg L.P.

Economia