PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

Emirates estuda maior corte de empregos do setor aéreo

Issouf Sanogo/AFP
Imagem: Issouf Sanogo/AFP

Layan Odeh e Siddharth Vikram Philip

18/05/2020 07h47

A Emirates Group avalia eliminar cerca de 30 mil empregos, o que seria o maior número de demissões até o momento no setor aéreo global, praticamente paralisado devido à pandemia de coronavírus.

A maior aérea de longo curso do mundo pode reduzir em até 30% a folha de pagamento, que contava com 105 mil funcionários em março, para cortar custos e realinhar a operação à queda das viagens que deve durar anos, segundo pessoas com conhecimento do assunto. O grupo estatal captou US$ 1,2 bilhão em novos financiamentos no primeiro trimestre e busca ajuda de Dubai.

A Emirates também considera acelerar o aterramento da frota de A380, os enormes jatos de dois andares que podem acomodar mais de 500 passageiros, disseram algumas pessoas, que não quiseram ser identificadas.

A Emirates, maior operadora do superjumbo da Airbus, disse que que está revisando os níveis de "custos e recursos" em relação às projeções e que se prepara para retomar os serviços depois de quase dois meses de aterramento.

"Nenhum anúncio foi feito sobre demissões em massa na companhia aérea", afirmou a empresa em comunicado por e-mail. "Conservar caixa, salvaguardar nossos negócios e preservar o máximo possível de nossa força de trabalho qualificada continuam sendo nossas maiores prioridades."