PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Canadá enfrenta desafio de atrair migrantes para setor agrícola

Kait Bolongaro e Shelly Hagan

21/05/2020 15h16

(Bloomberg) -- O Canadá tradicionalmente estende o tapete de boas-vindas para trabalhadores sazonais em fazendas no país. Agora, o governo canadense não consegue encontrar mão de obra suficiente disposta a fazer a jornada.

Há pouco interesse local no trabalho agrícola, por isso, no Canadá, o setor conta com quase 60 mil trabalhadores estrangeiros que viajam ao norte todos os anos de países como México, Jamaica e Guatemala. Neste ano, no entanto, alguns trabalhadores migrantes decidiram ficar em casa para se proteger do coronavírus, causando falta de mão de obra estrangeira essencial.

Com isso, agricultores canadenses estão desesperados para encontrar trabalhadores, apesar de enfrentarem a pior crise econômica desde a Grande Depressão. É uma questão que rapidamente se torna politizada: o governo federal é obrigado a intervir, e políticos da oposição pedem que programas de ajuda contra o coronavírus destinados a estudantes e desempregados estejam associados ao trabalho no campo.

O governo estuda "maneiras adicionais de reforçar nossa oferta de mão de obra doméstica", disse Marielle Hossack, porta-voz da ministra do Emprego, Carla Qualtrough. "Continuamos a incentivar empregadores a contratar canadenses, e os empregos são anunciados - e continuam disponíveis - para os canadenses interessados."

O impacto do Covid-19 obrigou o Canadá a reduzir as metas de imigração para recém-chegados, mas o governo do primeiro-ministro Justin Trudeau implementou medidas para tentar atrair trabalhadores sazonais para o norte. Entre elas, a implementação de isenções de fechamento de fronteiras, facilitando a renovação de vistos para trabalhadores da agricultura e fornecendo 50 milhões de dólares canadenses (US$ 36 milhões) para cobrir custos obrigatórios de quarentena.

Ainda não é suficiente para convencer mais pessoas a vir. A pressão política aumenta para encontrar uma fonte alternativa de mão de obra local, pois o governo de Ottawa estima um déficit de milhares de trabalhadores já no início da temporada de cultivo.

Surtos em fazendas

Durante os quatro meses até o fim de abril, 22 mil pessoas vieram para trabalhar em pomares de frutas e hortaliças da Colúmbia Britânica até a região vinícola de Niágara, em Ontário. Das 13 mil chegadas projetadas para o mês de abril, apenas 11 mil trabalhadores vieram.

Syed Hussan, diretor da Migrant Workers Alliance for Change, em Toronto, disse que a escassez é agravada por dificuldades nas viagens e preocupações com a saúde. Em muitos casos, os países de origem dos trabalhadores têm menos infecções de Covid-19 do que o Canadá, e fazendas e instalações canadenses que empregam migrantes registraram alguns dos maiores surtos em locais de trabalho.

©2020 Bloomberg L.P.

Economia