Riad, Moscou, Caracas e Doha decidem congelar produção de petróleo

Doha, 16 fev (EFE).- Os governos de Arábia Saudita, Rússia, Venezuela e Catar decidiram nesta terça-feira (16) congelar a produção de petróleo em seus níveis de janeiro, informou o ministro de Energia e Indústria catariano e presidente rotativo da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), Mohammed Saleh al Sa'adah.

"A fim de estabilizar o mercado do petróleo decidimos congelar a produção", afirmou Al Sa'adah em entrevista coletiva realizada em Doha, no Catar.

Al Sa'adah acrescentou que se tenta "uma medida que não só beneficiará os países produtores e exportadores de petróleo, mas a economia global".

Além disso, disse esperar que os demais países produtores de petróleo sejam ou não membros da Opep, apliquem a mesma iniciativa.

Com esse objetivo, o ministro catariano anunciou que liderará uma próxima rodada de contatos com outros países, como o Irã e Iraque.

Na entrevista coletiva, também estiveram presentes o ministro de Petróleo e Recursos Minerais saudita, Ali al Nuaimi; o titular de Energia russo, Alexander Novak, e o ministro de Petróleo venezuelano, Eulogio del Pino.

No último dia 28 de janeiro, quando Novak mostrou sua disposição a participar do encontro de hoje, antecipou que a Arábia Saudita tinha proposto uma corte da produção de 5%

No entanto, ressaltou que antes de concordar um recorte na extração, era necessário que todos os países produtores e exportadores alcançassem um "consenso" base.

Em seu último relatório, que data de 10 de fevereiro, a Opep afirmou, citando fontes secundárias, que a produção de petróleo dentro de sua organização aumentou em janeiro em 131 mil barris ao dia e alcançou uma média de 32,3 milhões de barris diários.

Antes do anúncio realizado, a Opep havia informado em Viena que o barril de petróleo de seu grupo se valorizou 6,3% hoje e estava cotado a US$ 28,44.

Com este considerável aumento, o petróleo da Opep mantém a tendência de alta dos dois últimos dias, nos quais já ganhou US$ 3 por barril.

Ainda assim, o preço do barril de referência da Opep se mantém em seu nível mais baixo em 12 anos, devido ao excesso de oferta de petróleo no mercado.

Basta cavar para achar petróleo?

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos