Bolsas

Câmbio

Argentina emite letra do Tesouro para cancelar 25% de aumento de cota no FMI

Buenos Aires, 2 jun (EFE).- O governo da Argentina oficializou nesta quinta-feira a emissão de uma letra do Tesouro Nacional para cancelar 25% do aumento de sua cota no Fundo Monetário Internacional (FMI), na quantia de até US$ 400 milhões, através de uma resolução publicada no Diário Oficial.

A emissão do título, com vencimento em 29 de abril de 2026, é destinada a financiar o aumento na soma de 1.070.200.000 nos chamados Direitos Especiais de Giro (SDR, na sigla em inglês), a moeda interna do FMI, um ativo de reserva internacional cujo valor se baseia em uma cesta de quatro moedas (na atualidade, o dólar, o euro, o iene e a libra esterlina).

O valor final, de até US$ 400 milhões, será determinado em função da taxa de câmbio do dólar em relação aos SDR do dia 29 de abril de 2016, a data da emissão.

Segundo a cotação atual da moeda do FMI, a Argentina deverá pagar, no total, o equivalente a cerca de US$ 1,5 bilhão.

A letra, intransferível denominada em moeda americana, tem um prazo de amortização de dez anos e pagará juros iguais à taxa que mereçam as reservas de moeda internacional do Banco Central argentino.

A resolução habilita o ministério da Fazenda argentino a que, como contrapartida dos pagamentos, honre as parcelas que correspondam e emita uma ou mais letras intransferíveis pelas somas necessárias para cobrir esse 25% do aumento da cota.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos