Bolsas

Câmbio

Seul insiste em prestar ajuda humanitária à Pyongyang apesar de sanções

Seul, 18 set (EFE).- O Governo da Coreia do Sul voltou a insistir nesta segunda-feira na necessidade de realizar envios de ajuda humanitária para os mais desfavorecidos na Coreia do Norte, apesar das sanções que pesam sobre o regime vizinho.

O porta-voz do Ministério de Unificação sul-coreano, Baik Tae-hyun, explicou em coletiva de imprensa que os envios de ajuda "devem ser mantidos independentemente da situação política".

Baik disse também que a maior parte da comunidade internacional continua mantendo a mesma postura que o Governo de Seul neste campo.

As palavras do porta-voz foram ditas três dias antes de a Coreia do Sul decidir aprovar ou não o envio de cerca de US$ 8 milhões em ajuda alimentar destinadas principalmente a mulheres e crianças atendidas através de agências As Nações Unidas.

Algumas vozes, especialmente da oposição conservadora sul-coreana, questionaram o envio de ajuda humanitária à Coreia do Norte, em um momento em que a comunidade internacional endureceu as sanções sobre o regime de Pyongyang para tentar frear os seus programas de desenvolvimento de armas.

O anterior Executivo conservador sul-coreano, que governou até maio passado, decidiu suspender toda ajuda humanitária ao país vizinho por causa do seu quarto teste nuclear realizado em janeiro de 2016.

Deste modo, se Seul aprovar a envio, se trataria da primeira ajuda a Pyongyang através da ONU desde dezembro de 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos