PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Microsoft destaca crescimento acelerado da nuvem na América Latina

23/10/2017 20h41

Miami, 20 out (EFE).- O crescimento acelerado da nuvem na América Latina fez com que a Microsoft quase atingisse a meta de US$ 20 bilhões em vendas totais previstas para atingir em 2018, disse nesta segunda-feira à Agência Efe um dos executivos da empresa.

A alta nas vendas de serviços na nuvem na região está atingindo dígitos triplos, afirmou Hugo Santana, gerente-geral de Empresas para a América Latina, responsável por 9 mil corporações, empresas, instituições e governos que são clientes da Microsoft na região.

"Já estamos em US$ 19 bilhões em vendas", destacou o executivo, que estimou em US$ 27 bilhões o investimento para desenvolver os serviços de nuvem da Microsoft nos últimos três anos e meio.

Santana mostrou otimismo em relação às possibilidades oferecidas pela aliança recentemente anunciada entre a Microsoft e a mexicana Softtek para ajudar os clientes latino-americanos de ambas as companhias a avançar na transformação digital.

Em virtude desta parceria, a Softtek oferece ao mercado da região uma série de serviços e soluções baseadas na tecnologia da Microsoft, incluindo soluções industriais da internet das coisas, migração para a nuvem e soluções SAP na plataforma Azure.

"A aliança é fruto de muitos meses de trabalho em conjunto e já há clientes se beneficiando dela no México, Argentina, Brasil e Chile", destacou Santana.

O executivo da Microsoft destacou a importância da confiança e da segurança dos clientes corporativos, que colocam na nuvem aspectos críticos do funcionamento de suas empresas.

A Microsoft lida com bases de dados de 1,7 milhão de clientes corporativos no mundo todo, o que representa um número quase imensurável de informações, e conta com uma infraestrutura de 100 centros de dados em 40 regiões de todo o mundo.

A maioria dos centros são de "hiper escala", o que significa que reúnem mais de 600 mil servidores. Cada um deles tem um tamanho equivalente a 16 campos de futebol.

De acordo com o executivo da Microsoft, há mais de 10 mil operários da empresa construindo centros similares por todo o mundo.

Santana indicou que, apesar de a nuvem ter chegado mais tarde à América Latina, a região está se atualizando rapidamente.

Segundo ele, na metade dos casos, a razão de uma empresa não avançar na transformação digital não tem relação com questões tecnológicas, mas sim com resistência à mudança.