Bolsas

Câmbio

Trabalho, infraestrutura e alimentação pautam agenda da Argentina no G20

Buenos Aires, 30 nov (EFE).- A Argentina vai propor uma agenda focada no futuro do trabalho, na infraestrutura para o desenvolvimento e na alimentação sustentável como os eixos de sua presidência do G20 em 2018, uma função que o país vai assumir nesta sexta-feira.

"A Argentina vai propor uma agenda focada em três eixos: o futuro do trabalho, a infraestrutura para o desenvolvimento e uma alimentação sustável", afirmou hoje o presidente Mauricio Macri durante o lançamento oficial da presidência do G20.

Em discurso em Buenos Aires para autoridades nacionais e internacionais, Macri convidou os presentes a trabalharem "juntos" para enfrentar "um dos maiores desafios" da história do país, e liderar o G20 "com o espírito de um mediador de boa fé".

Macri fez referência ao impacto que as novas tecnologias estão exercendo sobre os processos de produção e ressaltou as "oportunidades e desafios" que isto traz.

"Devemos garantir que a ampliação do desenvolvimento tecnológico não gere exclusão nem reações adversas", disse Macri.

Neste sentido, o presidente destacou que "a educação está no centro do debate" e que, para fazer com que a nova onda de avanços seja "inclusiva", serão necessários "grandes investimentos em capacitação" e gerar "consensos básicos" entre empresários, trabalhadores e o setor público.

Em relação à infraestrutura como um motor de desenvolvimento, Macri considerou "fundamental" mobilizar o investimento privado para fechar a "grande lacuna global" que existe. Além disso, citou como exemplo o "ambicioso" plano que está sendo impulsionado na Argentina neste setor.

"No G20 buscaremos desenvolver a infraestrutura como uma nova classe de ativo para canalizar as economias de hoje para o transporte, os serviços de saúde, a energia, a conectividade; que farão de cada pessoa do presente um cidadão global e um trabalhador do futuro", acrescentou o presidente argentino.

Por último, Macri mostrou uma Argentina que sente orgulho de ser um dos celeiros do mundo, como produtor de alimentos para mais de 400 milhões de pessoas, e assegurou que o país está pronto "para fazer sua contribuição" para uma alimentação sustentável no futuro.

Neste sentido, o Macri expressou sua preocupação com a preservação "crucial" da terra como recurso limitado e não renovável, que é responsável pela produção da maior parte dos alimentos.

"O G20 pode fomentar maiores parcerias público-privadas e criar um setor alimentício sustentável no futuro", comentou Macri, "um interesse que é partilhado por todos".

Além disso, o chefe de governo argentino garantiu que continuará com os esforços realizados anteriormente pelos líderes mundiais que ostentaram a presidência do G20 em matéria de igualdade de gênero, luta contra a corrupção e proteção do meio ambiente, entre outros.

"Hoje damos início a um período de trabalho muito intenso que servirá para mostrar para o mundo o que está acontecendo na Argentina", concluiu o presidente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos