PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Petro, a criptomoeda da Venezuela lastreada ao petróleo, entre em operação

20/02/2018 17h14

Caracas, 20 fev (EFE).- O governo da Venezuela ativou nesta terça-feira a pré-venda do petro, uma criptomoeda estatal que terá como lastro 5,342 bilhões de barris de petróleo e que procura gerar, segundo o chefe do Estado Nicolás Maduro, um "sistema financeiro mais justo".

O vice-presidente venezuelano, Tareck El Aissami, informou que na madrugada de hoje se deu "o início formal e de forma bem-sucedida" da implementação do petro "e seu respectivo processo de pré-venda", principalmente nos mercados asiáticos.

"A Venezuela se coloca na vanguarda do futuro (...) Hoje é um dia que ficará para a história. É o primeiro Estado, a primeira nação, que lança sua criptomoeda, com lastro em suas reservas e riquezas naturais", afirmou Aissami.

O governo informou anteriormente que o total de ativos virtuais emitidos será de 100 milhões, "sem emissões extraordinárias, e dos quais 82,4 milhões estarão disponíveis para a pré-venda que foi iniciada nesta terça-feira".

Dos 82,4 milhões, 44% serão oferecidos em uma pré-venda privada e na oferta pública inicial, enquanto 38,4% ficarão para a venda privada e os 17,6% restantes serão retidos pela Superintendência de Criptomoedas e Atividades Conexas Venezuelana (Supcacven), indicou a estatal "Agência Venezuelana de Notícias" (AVN).

O governo venezuelano ativou um site para orientar todas as pessoas naturais e jurídicas, nacionais e estrangeiras, nos passos a serem seguidos para a aquisição da moeda digital.

A "AVN" também informou que o trânsito de internautas no site quintuplicou durante o dia de hoje, o que ocasionou alguns atrasos no acesso ao portal.

No mês passado, Maduro disse que a criptomoeda, em seu início, teria como lastro "a riqueza do campo I do bloco Ayacucho da Faixa Petrolífera do Orinoco" e ressaltou que cada petro equivaleria ao preço de um barril de petróleo.

Maduro apresentou na época o "white paper" ou livro branco, que "mostra todas as condições de criação, funcionamento e apoio da criptomoeda".

Ao ler alguns dos pontos contidos no livro, o presidente venezuelano disse que os petros "poderão ser adquiridos na pré-venda, na oferta inicial e no mercado secundário, uma vez que esteja encerrado o processo de venda inicial" e que " o total de petros emitidos em circulação durante o primeiro ano superará os 100 bilhões".