PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Colômbia receberá centro latino-americano sobre quarta revolução industrial

23/01/2019 13h46

Davos (Suíça), 23 jan (EFE).- A Colômbia receberá um dos quatro centros para a quarta revolução industrial que, sob a tutela do Fórum Econômico Mundial, serão criados em 2019 com o objetivo de promover novas tecnologias digitais.

"Vejo a Colômbia como um eixo para o desenvolvimento destas tecnologias na América Latina", disse o presidente da Colômbia, Iván Duque, durante entrevista coletiva realizada em Davos na qual foi apresentada a iniciativa.

O centro será instalado na cidade de Medellín. Em uma primeira etapa, o foco será em inteligência artificial, a chamada internet das coisas e tecnologia blockchain.

Medellín, segundo Duque, foi reconhecida como uma das cidades "mais inovadoras" da América Latina.

"É uma oportunidade para nós e para a América Latina, de adotar as regulamentações necessárias que garantam o sucesso nesta quarta revolução industrial", afirmou Duque.

O conceito de quarta revolução industrial, para o qual o Fórum de Davos decididamente contribuiu, ressalta o desenvolvimento e a difusão de tecnologias baseadas em sistemas cibernéticos, inteligência artificial, robótica e biotecnologia.

A organização do evento anunciou que mais de cem empresas, entidades e governos, entre els cinco membros do G7 (Canadá, França, Japão, Estados Unidos e Reino Unido) se uniram à rede de governança do Fórum Econômico Mundial. A estrutura visa contribuir com o desenvolvimento desta tecnologia em escala global de forma segura, equitativa e ética.

Colômbia, Israel e Emirados Árabes Unidos criarão os primeiros centros filiados a rede para acelerar a implementação de projetos-piloto.

Duque agradeceu apoio ao Banco Interamericano de Desenvolvimento e ressaltou que a criação do centro de Medellín é uma oportunidade para que a Colômbia adapte seus planos de educação e negócios.

"A Colômbia é um país que tem uma grande projeção em matéria de empreendimento. Uma das apostas do plano é, exatamente, melhorar o investimento em startups dedicadas a esse tipo de tecnologia. Aplicaremos uma política de 'taxa zero' de impostos", disse Duque.

"Convidamos os investidores e as empresas a se unirem a nós, de modo que possamos continuar transformando a Colômbia em um país inovador", disse o presidente na entrevista coletiva. EFE