PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Rede de supermercados DIA prorroga dívida com bancos para 2023

19/03/2019 14h43

Madri, 19 mar (EFE).- A rede espanhola de supermercados DIA, presente em cinco países, entre eles o Brasil, acertou nesta terça-feira com os bancos credores uma prorrogação do vencimento de sua dívida por 912,12 milhões de euros (R$ 3,90 bilhões) até 31 de março de 2023, embora a companhia tenha que fazer uma reorganização societária.

Um porta-voz do grupo afirmou à Agência Efe que essa reorganização envolve a criação de uma "subsidiária operacional detida indiretamente em 100% pela DIA", para a qual serão transferidas várias lojas, equivalentes a 60% do seu EBITDA restrito (lucro operacional bruto).

Em 30 de junho termina o prazo para convocar e submeter a aprovação a operação à Junta Geral de Acionistas da DIA, que se reúne amanhã em Madri para votar uma ampliação de capital. Dia 15 de agosto é a data limite para tal aprovação e 31 de dezembro é o prazo para finalizá-la.

O grupo, que tem lojas nos estados do Rio de Janeiro, de São Paulo e da Bahia, por exemplo, atravessa uma grave crise desde que afundou na bolsa em 2018, quando perdeu 352,6 milhões de euros na sua conta de resultados anuais (R$ 1,51 bilhão).

A rede anunciou em fevereiro deste ano um processo de demissão coletiva que representa o fim de, no máximo, "2.100 contratos de trabalho", de um quadro de funcionários com aproximadamente 26 mil pessoas. No último dia 12, reduziu o número de afetados pelo Expediente de Regulação de Emprego (ERE) a 1.536 pessoas.

No acordo com os bancos ficou acertado também que o grupo DIA deve obter "um EBITDA igual ou superior a 174 milhões de euros" (R$ 745 milhões) em 2019 e no período que vai de 1 de julho de 2019 a 30 de junho de 2020. O documento indica que a dívida líquida/ebitda será calculada a partir de 31 de dezembro de 2020, o que dá margem à assinatura para melhorar os seus resultados até então.

O grupo e os credores financeiros fizeram um acordo também com a obrigação de pagar antecipadamente a dívida até 21 de abril de 2021 para a venda de ativos não estratégicos, entre eles os estabelecimentos Max Descuento e Clarel, por valor não inferior a 100 milhões de euros (R$ 428 milhões). Além disso, ficou estabelecida a obrigatoriedade de refinanciar os títulos existentes com vencimento em 2021 com caráter prévio a essa data e de modo que se estenda até no máximo 1º de janeiro de 2023.

Após o anúncio da operação nesta terça-feira, as ações da rede de supermercados DIA se valorizaram em mais de 8% na bolsa de valores de Madri.

Recentemente, a Comissão Europeia deu sinal verde à oferta de aquisição pública apresentada para 100% da rede pelo magnata russo Mikhail Fridman, principal acionista atual, com 29% do capital da empresa. EFE