PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Subsidiária da Iberdrola inaugurará hidrelétrica com presença de Bolsonaro

22/05/2019 16h48

Capanema (Brasil), 22 mai (EFE).- O presidente Jair Bolsonaro participará nesta quinta-feira, ao lado do diretor da Iberdrola, José Ignacio Sánchez Galán, da inauguração de uma hidrelétrica de Baixo Iguaçu, projeto tocado pela Neoenergia, subsidiária do grupo espanhol no Brasil, na cidade de Capanema, no Paraná.

A usina já está em operação desde abril. O projeto, no qual foram investidos cerca de R$ 2,3 bilhões, é tocado pela Neoenergia em parceria com a Companhia Paranaense de Energia (Copel).

A hidrelétrica tem uma capacidade instalada para gerar 350 megawatts e atenderá cinco cidades do interior do estado do Paraná, que, juntas, têm 1 milhão de habitantes.

Segundo a Neonergia, a utilização dos recursos hídricos para a geração de energia gerará uma arrecadação anual de R$ 4 milhões, que serão divididos proporcionalmente entre as cinco cidades, seguindo as normas estipuladas pela legislação brasileira.

O Consórcio Empreendedor Baixo Iguaçu (CEBI), responsável pela obra, afirmou que a instalação da hidrelétrica contribuiu com o desenvolvimento e a reestruturação dessas cinco cidades. Convênios foram assinados com as respectivas prefeituras para garantir investimentos e melhorias em diversos setores, como saúde, educação, segurança pública, turismo e atividades de lazer.

Durante as obras, que começaram em 2013 e terminaram em 2017, o consórcio contratou 6.908 trabalhadores. Em comunicado, o diretor do Cebi, José de Anchieta, afirmou que a arrecadação em impostos nesse período chegou a R$ 10 milhões.

"A obra possibilitou que os municípios se preparassem financeiramente para os próximos anos", destacou.

As áreas inundadas para o reservatório da hidrelétrica afetaram 345 propriedades rurais. Como medida compensatória, 128 famílias foram realocadas e receberão uma indenização.

Com a conclusão da hidrelétrica, a expectativa de fomento econômico na região recai, sobretudo, nas potencialidades das nos setores de turismo e lazer. Para isso, o Cebi desenvolveu um guia turístico que reúne 36 locais que podem ser visitados, entre centros culturais, balneários e áreas de Mata Atlântica ainda preservadas.

A hidrelétrica de Baixo Iguaçu deveria ter começado a operar em 2013, mas só obteve autorização para funcionar recentemente após uma série de embates judiciais com ambientalistas, o que atrasou em alguns anos o cronograma da obra.

A Neonergia ressaltou que a contribuição ambiental do complexo vai além da regularização. Entre as medidas nesse sentido, a empresa isolou uma área de proteção permanente onde fará reflorestamento.

No local será feito um cordão de floresta nativa e de biodiversidade que chegará ao Parque Nacional do Iguaçu, onde fica a usina de Itaipu, a maior hidrelétrica da América Latina.

A iniciativa tem o objetivo de recuperar 1,7 mil hectares de vegetação nas margens do Rio Iguaçu e seus afluentes, assim como criar uma região de trânsito para os animais, o que permitirá a reincorporação de espécies ameaçadas à fauna e à flora nativa.

"Esse corredor da biodiversidade tem a finalidade de conectar toda essa riqueza do parque com os arredores do nosso reservatório", explicou o gerente de Meio Ambiente do Cebi, Guilherme Siqueira, citado em comunicado divulgado pela empresa.

A Neoenergia está presente em 16 dos 27 estados do Brasil e tem ativos nos setores de geração, transmissão, distribuição e comercialização de eletricidade.

A subsidiária do grupo espanhol Iberdrola tem quatro distribuidoras - Coelba, Celpe, Cosern e Elektro -, que possuem uma rede de 585 mil quilômetros e são responsáveis por levar energia a quase 34 milhões de pessoas, quase 20% da população do país. EFE