PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Nasdaq volta a bater recorde e fecha pela 1ª vez acima de 10 mil pontos

10/06/2020 21h40

Nova York, 10 jun (EFE).- O índice Nasdaq Composite fechou nesta quarta-feira com o terceiro recorde consecutivo e, pela primeira vez, acima de 10 mil pontos, em um dia marcado pelas projeções econômicas negativas divulgadas pelo Federal Reserve (Fed), que também anunciou que vai manter os juros nos Estados Unidos no atual patamar, próximo de 0%, até 2022.

O indicador da bolsa eletrônica, no qual estão cotadas as maiores companhias de tecnologia dos Estados Unidos, somou 66,59 pontos e chegou a 10.020,35, impulsionado por títulos das gigantes Amazon (1,79%), Apple (2,57%), Microsoft (3,71%) e Tesla (8,97%), que estabeleceram novas cotações máximas

O Dow Jones Industrial, o principal índice de Wall Street, caiu 1,04%, para 26.989,99 pontos, e teve como quedas mais acentuadas as das ações de Boeing (-6,15%), Exxon Mobil (-5,36%), JPMorgan (-4,05%), Chevron (-3,89%) e American Express (-3,89%). Já o seletivo S&P 500 recuou 0,53% e fechou aos 3.190,14.

Os investidores tinham hoje como principal fator a ser monitorado a conclusão da reunião de dois dias do Federal Reserve (Fed). O banco central americano previu uma retração econômica de 6,5% e uma taxa de desemprego de 9,3% nos Estados Unidos neste ano, devido à crise provocada pela pandemia.

Além disso, o Fed decidiu manter a taxa de juros na faixa de 0% a 0,25% - sem pensar em elevá-la antes de 2022, segundo o presidente da instituição, Jerome Powell - e voltou a se comprometer a usar suas ferramentas para manter os mercados financeiros funcionando.

Em entrevista coletiva por teleconferência, Powell afirmou considerar "uma surpresa positiva" a diminuição do desemprego em maio, mas indicou que mais dados são necessários para confirmar uma estabilização.

O otimismo sobre a reabertura econômica e a criação de empregos nos EUA havia impulsionado o mercado acionário no final da semana passada, mas nesta quarta os investidores reagiram com pessimismo ao aumento das internações hospitalares devido à Covid-19 em alguns estados como Texas e Arizona.

Por sua vez, a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) previu hoje que a economia mundial sofrerá uma retração de 6% neste ano, desde que não haja um ressurgimento da pandemia - se isso ocorrer, a projeção é uma queda de 7,6%.

No horário de fechamento da bolsa, a onça do ouro subia para US$ 1.745,20, e o rendimento dos treasuries com vencimento em 10 anos caía para 0,736%.