Bolsas

Câmbio

Empresários da construção apostam na recuperação nos próximos meses

Sandra Manfrini

Brasília

Os empresários da indústria da construção apostam na recuperação do setor nos próximos seis meses, segundo aponta a Sondagem Indústria da Construção, divulgada nesta segunda-feira, 26, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo a pesquisa, o índice de confiança dos empresários da construção (Icei-Construção) subiu para 57 pontos em março, ante 56,3 pontos de fevereiro.

Entre os componentes do Icei-Construção, o Indicador de percepção sobre as condições atuais ficou em 50,3 pontos, acima da linha divisória dos 50 pontos. Segundo a Sondagem, isso mostra que os negócios pararam de piorar. O indicador de expectativa aumentou 0,7 ponto em relação a fevereiro, atingindo 60,5 pontos, "mostrando que os empresários estão otimistas com o desempenho do setor nos próximos seis meses".

"A retomada da economia e a queda da taxa básica de juros são essenciais para a recuperação do setor e contribuem para as perspectivas positivas dos empresários", diz a economista da CNI, Flávia Ferraz.

A pesquisa também aponta que os empresários apostam no aumento do nível de atividade, na contratação de novos empreendimentos e serviços, no crescimento das compras de matérias-primas e insumo e do número de empregados nos próximos seis meses. Todos esses indicadores ficaram acima dos 50 pontos em março. Os indicadores variam de zero a cem pontos. Quando ficam acima de 50 mostram que os empresários estão confiantes.

Já com relação a investimentos, por outro lado, os empresários continuam pouco dispostos a investir. O indicador de intenção de investimento caiu 1 ponto em relação a fevereiro e ficou em 31,1 pontos em março. Esse indicador também varia de zero a 100 pontos e quanto menor o indicador, menor é a propensão para o investimento.

Segundo o documento da CNI, uma das causas para a baixa intenção de investir é a elevada ociosidade do setor. O nível de utilização da capacidade instalada na indústria da construção ficou em 57% em fevereiro, ante 60% em janeiro.

Ainda de acordo com a pesquisa, a atividade e o emprego na construção continuaram caindo em fevereiro. O indicador de nível de atividade ficou em 46,2 pontos e o de número de empregos chegou a 44,1 pontos. Nesse caso, os índices também variam de zero a 100 pontos e, quando estão abaixo de 50 pontos, mostram queda da atividade e do emprego.

A Sondagem Indústria da Construção foi feita entre 1º e 13 de março com 599 empresas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos