PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Importações de produtos químicos crescem 19,1% em um ano, diz Abiquim

Fabiana Holtz

São Paulo

20/09/2018 15h23

As importações brasileiras de produtos químicos somaram US$ 4,4 bilhões em agosto, com crescimento de 19,1% em relação ao mesmo mês de 2017, segundo dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim).

Em quantidades físicas, em agosto as importações totalizaram 4,8 milhões de toneladas, com destaque para as compras de fertilizantes e seus intermediários (praticamente 3 milhões de toneladas), marcando o maior resultado observado para um único mês em toda a série histórica da balança comercial do setor, iniciada em 1989.

Em relação a julho, as importações aumentaram 10,6% em valor e 17,2% em volume.

Acumulado

No acumulado do ano até agosto, a importação de produtos químicos somou US$ 27,6 bilhões, indicando expansão de 14,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em volume, as importações caíram 7,4% nesta base de comparação, para 26,8 milhões de toneladas, apesar da recente retomada das aquisições de fertilizantes.

Já as exportações alcançaram US$ 8,9 bilhões no acumulado do ano, valor estável (+0,1%) na comparação com o informado entre janeiro e agosto de 2017. Com isso, o déficit na balança comercial de produtos químicos no acumulado do ano soma US$ 18,7 bilhões. O resultado é 23,2% superior ao informado em igual período de 2017.

Em 12 meses, o déficit comercial chega a US$ 27 bilhões, antecipando para meados do ano o resultado esperado para o final de 2018, acrescenta a Abiquim em nota. Esse resultado ainda poderá superar US$ 28 bilhões, calcula a associação, dependendo do comportamento do mercado interno e dos reflexos da guerra comercial entre os Estados Unidos e China.

"Estamos acompanhando 'com lupa' os fluxos comerciais e é com muita preocupação que vemos a escalada das compras externas de produtos químicos, que foram de US$ 2,8 bilhões em fevereiro para US$ 4,4 bilhões em agosto", observou em nota a diretora de Assuntos de Comércio Exterior da Abiquim, Denise Naranjo.