PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

América Latina é destaque com alta de 5,5% no tráfego aéreo em março, diz Iata

Fabiana Holtz

São Paulo

08/05/2019 16h40

A demanda por transporte aéreo na América Latina cresceu 5,5% em março ante igual período do ano anterior, superando a alta de 4,6% informada em fevereiro, segundo levantamento mensal divulgado nesta quarta-feira, 8, pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). De acordo com a entidade, a região apresentou a taxa mais alta entre todas as regiões pesquisadas, além de ser a única a mostrar um aumento no comparativo anual para o mês de março em relação aos níveis de fevereiro.

Na mesma base de comparação, a região apresentou alta de 5,8% na capacidade, com um recuo de 0,2 pontos porcentuais (p.p.) na taxa de ocupação, para 81.9%. Em termos ajustados sazonalmente, o tráfego continua indicando tendência de forte alta, a despeito das incertezas econômicas e políticas em alguns países-chave, observa a Iata em nota.

Na Europa, a demanda por transporte de passageiros cresceu 4,7% em março no comparativo anual. A performance, porém, veio bem abaixo da expansão de 7,5% reportada em fevereiro.

Na avaliação da Iata, o resultado, em parte, reflete a constante queda na confiança nos negócios na Zona do Euro e as incertezas correntes sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), o chamado Brexit. Na mesma base de comparação, a capacidade cresceu 5,4% e a taxa de ocupação recuou 0,6 ponto porcentual, para 84,2% - permanecendo como a maior entre todas as regiões.

O tráfego entre as aéreas da região Ásia-Pacífico subiu 2,0% em março ante o mesmo mês do ano anterior, ficando bem abaixo do crescimento de 4% informado em fevereiro. Entretanto, o desempenho foi melhor em bases sazonalmente ajustadas. A capacidade da região cresceu 4,0% e o fator de ocupação caiu 1,6 p.p., para 80,1%.

Entre as companhias aéreas da América do Norte, o tráfego de passageiros aumentou 3,0% em março, abaixo do crescimento de 4,2% no comparativo anual registrado em fevereiro para a região. Em bases sazonalmente ajustadas, entretanto, a demanda na região tem apresentado tendência de alta. A capacidade cresceu 2,6% na mesma base de comparação e o fator de ocupação subiu 0,3 p.p., para 83,7%.

Na África, a demanda cresceu 2,1% ante março de 2018, abaixo do acréscimo de 2,5% reportado em fevereiro. A capacidade da região aumentou 1,1% na mesma base de comparação, com o fator de ocupação avançando 0,7 p.p., para 71,4%. A tendência de expansão no tráfego da região tem diminuído desde meados de 2018, em linha com o declínio na confiança nos negócios em algumas das principais economias do continente africano, aponta a Iata em nota.

Única região a apresentar contração, a demanda de passageiros no Oriente Médio caiu 3,0% em março. Esse foi o segundo mês consecutivo de retração no tráfego, refletindo mudanças estruturais amplas na indústria que tem ocorrido na região. Já a capacidade aumentou 2,3% na mesma base de comparação e o fator de ocupação caiu 4,0 pontos porcentuais, para 73,8%.