PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Para IBGE, choque da pandemia foi principalmente na 2ª quinzena de março e abril

Vinicius Neder

Rio

16/06/2020 17h00

O choque da pandemia de covid-19 no mercado de trabalho se concentrou, principalmente, na segunda quinzena de março e em abril e parece ter se estabilizado no "fundo do poço" em maio, afirmou nesta terça-feira, 16, o diretor de Pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Eduardo Rios-Neto.

Segundo ele, os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Covid (Pnad Covid), divulgados pela primeira vez na tarde desta terça-feira, sustentam a análise.

Conforme a nova pesquisa, a população ocupada se manteve estável ao longo das quatro semanas de maio, em torno de 84 milhões de pessoas, sugerindo que não houve uma onda de demissões no mês passado.

"Todos os indicadores mostram que o choque da pandemia foi principalmente na segunda quinzena de março e abril", afirmou Rios-Neto, na entrevista coletiva para comentar a primeira Pnad Covid, encerrada na tarde desta terça-feira.

A nova pesquisa é uma versão da Pnad Contínua, planejada em parceria com o Ministério da Saúde. A coleta mobiliza cerca de dois mil agentes do IBGE, que levantam informações de 193,6 mil domicílios distribuídos em 3.364 municípios de todos os Estados do País.

A Pnad Contínua seguirá trazendo os dados oficiais sobre o mercado de trabalho, mas as duas versões da pesquisa não são comparáveis, ressaltaram pesquisadores do IBGE.

No trimestre móvel encerrado em abril, a Pnad Contínua apontou queda na população ocupada, indicando fechamento de vagas de trabalho.

O diretor-adjunto de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo, ponderou que é impossível separar, na Pnad Contínua, efeitos tipicamente sazonais do mercado de trabalho - que, a cada ano, vê uma redução na população ocupada por causa das demissões de trabalhadores temporários contratados no fim do ano anterior - daqueles relacionados à pandemia de covid-19.

Rios-Neto concordou com a impossibilidade de comparação, mas ressaltou que, independentemente disso, "o fato é que é o no mês de abril que o elevador cai em termos de ocupação". "O que a Pnad Covid parece garantir é que você estabilizou o fundo do poço", afirmou o diretor, ponderando ainda que a nova pesquisa não captou dados referentes a abril. "O que a Pnad Covid captará bem é o exercício de início de recuperação", completou Rios-Neto.

Economia