PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

União desembolsa R$ 5,5 bi no 1º semestre para honrar dívidas de governos

Lista é encabeçada por Rio de Janeiro, com R$ 2,043 bilhões em dívidas, e Minas Gerais, com R$ 1,931 bilhão - Getty Images
Lista é encabeçada por Rio de Janeiro, com R$ 2,043 bilhões em dívidas, e Minas Gerais, com R$ 1,931 bilhão Imagem: Getty Images

Eduardo Rodrigues

Brasília

15/07/2020 15h49Atualizada em 15/07/2020 17h26

O Tesouro Nacional precisou desembolsar R$ 5,510 bilhões no primeiro semestre de 2020 para honrar débitos bancários não quitados pelos governos estaduais e municipais. A lista é encabeçada por Rio de Janeiro, com R$ 2,043 bilhões, e Minas Gerais, com R$ 1,931 bilhão.

Catorze das 27 unidades da federação deixaram de pagar algum compromisso com garantia da União desde o começo deste ano. Apenas no mês passado, os desembolsos do Tesouro para cobrir dívidas não pagas pelos governos regionais chegou R$ 1,262 bilhão.

Os calotes de Minas Gerais somaram R$ 640,96 milhões em junho. O Rio Grande do Norte não honrou o pagamento de R$ 49,79 milhões e o governo do Maranhão não pagou uma parcela de R$ 3,98 milhões.

O Tesouro ainda honrou uma dívida de R$ 3,76 milhões da prefeitura de Chapecó (SC).

Já os débitos não pagos pelo Rio de Janeiro chegaram a R$ 564,21 milhões no mês passado. O governo fluminense está autorizado a não honrar esses compromissos na condição de único a ter feito a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) desde 2017.

O Tesouro lembrou que a União está impedida de executar as contragarantias — ou seja, sequestrar parte dos repasses de receitas - de diversos Estados que obtiveram liminares no Supremo Tribunal Federal (STF) nos últimos dois anos. "Os valores honrados no ano aumentaram a necessidade de financiamento da dívida pública federal", acrescentou o órgão.

Além disso, o pacote de ajuda financeira aos governos regionais aprovado pelo Congresso Nacional em maio também suspendeu o pagamento de dívidas com a União e com os bancos públicos até o fim deste ano.