PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Finkelsztain: Estrangeiro volta quando houver previsão de responsabilidade fiscal

Cynthia Decloedt

23/11/2020 18h58

O ingresso dos investidores estrangeiros na bolsa é importante e complementar, mas é preciso que haja previsibilidade de responsabilidade fiscal e de que o País irá respeitar o teto dos gastos para que sua volta realmente ocorra, disse disse o presidente da B3, Gilson Finkelsztain, durante o Congresso Anual da Anbima e B3, que acontece este ano virtualmente. Ele destaca a importância dos estrangeiros mesmo que os investidores locais tenham sido capazes de sustentar várias ofertas de ações este ano.

"Ele volta quando percebe que o ciclo será longo. Embora tenha sido relevante a participação do investidor local, eles são importantes. Mas o estrangeiro volta quando tivermos previsão de que vamos manter responsabilidade fiscal e avançar com agenda de teto de gastos. Espero que tenhamos tais perspectivas", disse.

Finkelsztain comentou ainda que o movimento crescente de ingresso das pessoas físicas na bolsa é estrutural e que veio para ficar. "Não somos mais a República da renda fixa. Desde que não voltemos à experiência do passado, se conseguirmos preservar taxa de juro real bem mais abaixo do patamar dos últimos 15 anos", afirmou.

Segundo ele, a Selic a 2% foi um catalizador, mas não foi o único. "Há uma nova geração de investidores que investe mais cedo e não viveu crises econômicas que traumatizaram investidores, ao longo dos anos 80 principalmente, e portanto, tem mais apetite de risco. Temos mudança grande na distribuição, com as plataformas democratizando o acesso aos investimentos", disse ainda.