PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

BNDES aguarda aprovação do PL da Eletrobras para iniciar estudos de privatização

Vinicius Neder

Rio

28/01/2021 15h26

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) "aguarda ansiosamente" pela aprovação do projeto de lei que autoriza a privatização da holding estatal do setor elétrico Eletrobras para trabalhar na estruturação do modelo de venda, afirmou nesta quinta-feira, 28, o presidente da instituição de fomento, Gustavo Montezano.

"Aguardamos ansiosamente a aprovação do PL da Eletrobras para que o BNDES possa iniciar estudos e fazer essa privatização tão importante", afirmou Montezano, em palestra virtual transmitida ao vivo durante a Latin America Investment Conference, promovida pelo banco Credit Suisse.

O executivo fez os comentários ao discorrer sobre a atuação do banco na estruturação de projetos de concessão e privatização.

Segundo Montezano, a "fábrica de projetos" do BNDES já tem uma carteira de 200 projetos, que somam investimentos da ordem de R$ 200 bilhões.

Venda de participações acionárias

Montezano reafirmou ainda que o BNDES continuará vendendo suas participações acionárias em grandes companhias. Embora já tenha vendido em torno de R$ 50 bilhões em ações desde o fim de 2019, o banco precisa avançar, para atingir a meta de reduzir o risco associado à volatilidade (VaR) da carteira.

"Ainda não estamos satisfeitos (com o valor vendido até aqui). A VaR diária (da carteira) é de mais de R$ 2 bilhões. Não tem propósito isso", afirmou Montezano. "É descabido um banco público de desenvolvimento ser especulador, especialmente num país endividado como o Brasil", completou o executivo.

Segundo Montezano, como a volatilidade dos mercados aumentou com a crise causada pela covid-19, a VaR da carteira de ações do BNDES caiu menos do que a diretoria gostaria. A meta, colocada no fim de 2019, é reduzir a VaR da carteira em 80% até o fim de 2022, o que, na prática, implica reduzir o tamanho da carteira em proporção semelhante.

"Até o fim de 2022 queremos reduzir e virtualmente zerar esse risco", afirmou Montezano.

O executivo reafirmou ainda que o BNDES manterá o "perfil" de sua estratégia de venda.

"Daqui pra frente vamos continuar conduzindo essa agenda com o mesmo perfil: cauteloso, sem afetar o mercado, sem pressa", completou Montezano.