IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Selic é importante, mas crédito farto depende credibilidade, diz Campos Neto

São Paulo e Brasília

05/04/2023 17h32

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta quarta-feira que a taxa básica de juros tem influência, mas a oferta de crédito está mais relacionada à credibilidade. "Selic é importante, mas crédito farto depende credibilidade", disse Campos Neto, em almoço com empresários promovido pelo grupo Esfera. Ele lembrou que, de 2011 a 2014, o crédito teve desaceleração mesmo com a queda da Selic.

O Banco Central, observou, determina a taxa de juros de um dia. Em todos os outros prazos, a taxa é determinada por quem empresta para governo, levando em conta o risco de colocar o dinheiro em títulos brasileiros.

O presidente do BC disse ainda que o crédito em duplicatas e recebíveis teve queda mais forte do que o esperado, mas dá sinais de que está se restabelecendo.

Pacote sobre crédito

O presidente do Banco Central disse que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, vai anunciar o pacote de medidas de estímulo ao crédito que está sendo preparado.

Ele afirmou que o BC está aberto a ouvir o agronegócio para melhorar a oferta de recursos (funding) ao setor no mercado de capitais.

O presidente do BC disse que mais de dez regras de funding foram lançadas para melhorar a captação de recursos do agronegócio no mercado de capitais. Porém, pontuou, a pandemia e a alta dos juros limitou o interesse de investidores privados e internacionais em emprestar ao setor.

"O agro é uma verdadeira máquina, sem ela a produtividade do País cairia muito ... Esperamos voltar a caminho saudável para o agronegócio no mercado de capitais", declarou Campos Neto.

Diretores

O presidente do Banco Central reafirmou no almoço com empresários que a escolha de diretores da autoridade monetária é uma prerrogativa do governo. Ele manifestou, porém, disposição para ajudar nas escolhas.

Sobre o perfil ideal para as vagas, o presidente do BC declarou que não importa se o diretor tem pensamento de esquerda, centro ou direita. No departamento de Fiscalização, que chamou de área "delicada", o ideal é que seja alguém que "entre jogando". Já na diretoria de Política Monetária, precisa ser alguém que entenda as operações de mercado, opinou.

Campos Neto defendeu que as escolhas levem em conta a diversidade de pensamento. "Se o diretor vai ter visão de um lado ou de outro, vamos discutir", assinalou o presidente do BC, durante o almoço promovido no início da tarde pelo grupo Esfera.

Real digital

O presidente do Banco Central informou ainda que o projeto piloto do real digital, através de títulos públicos, será iniciado "em breve".

"Temos grandes chances de termos o sistema financeiro mais moderno do mundo", disse o presidente do BC durante almoço com empresários promovido pelo grupo Esfera.