IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Casal negro é agredido em área externa de loja do Grupo Carrefour em Salvador

Salvador

07/05/2023 13h49

Um casal negro foi agredido na área externa de uma unidade do Grupo Carrefour em Salvador, mostra um vídeo que circula nas redes sociais desde sexta-feira, 5. A rede de supermercados afirma que afastou a equipe de prevenção e rescindiu o contrato com a empresa de segurança responsável pelo local. Não foi divulgado em qual unidade ocorreu a violência.

Na gravação, a mulher é questionada sobre um suposto furto e mostra uma mochila aberta, com embalagens de leite em pó. Ela, que se identificou como Jamile, disse que estava precisando dos produtos. "Por causa da minha filha."

O homem, que aparece agachado, afirmou se chamar Jeremias e disse ser de Itapuã, bairro turístico da capital baiana. Ele promete ainda não voltar mais ao supermercado. "Não sou ladrão, não", acrescentou. Ambos levam tapas no rosto, mas não é possível ver os autores da violência.

Nas redes sociais, o diretor de Prevenção do Grupo Carrefour Brasil, Claudionor Alves, chamou o fato de "inadmissível", disse que "causou profunda indignação" e defendeu a investigação do episódio. "Assumimos a responsabilidade de desligar a liderança e a equipe de prevenção, além de rescindir o contrato com a empresa responsável pela segurança da área externa, onde a violência aconteceu", disse, em vídeo divulgado no sábado, 6.

Além disso, Alves afirma ter registrado boletim de ocorrência. "Esse crime não ficará impune", acrescenta. A 12ª Delegacia Territorial de Itapuã, segundo a Polícia Civil, "já tomou conhecimento do crime através dos vídeos e iniciará as apurações dos fatos".

"Estamos buscando o contato da Jamille e do Jeremias para nos desculparmos pessoalmente, além oferecer suporte psicológico, médico ou qualquer outro apoio necessário", acrescenta a empresa.

Morte após espancamento em Porto Alegre revoltou o Brasil

Em novembro de 2020, o soldador João Alberto Silveira Freitas, homem negro de 40 anos, foi espancado e morto por dois seguranças de uma unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre. O crime revoltou o Brasil, teve repercussão internacional e motivou uma série de protestos contra a empresa.

Em junho do ano seguinte, o Carrefour assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal gaúcho e as ONGs Educafro e Centro Santo Dias de Direitos Humanos para promover ações de valorização da diversidade interna e externamente.