IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Haddad: taxa de juros futura responde muito bem a medidas tomadas; infelizmente a presente, não

São Paulo

25/05/2023 18h04

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta quinta-feira que as taxas de juros futuras estão respondendo "muito bem" às medidas lançadas pelo governo, em especial no campo fiscal. Durante o evento do Dia da Indústria na sede da Fiesp, Haddad citou uma redução de 2 pontos porcentuais dos juros futuros nos últimos dois meses. "A taxa de juros futura responde muito bem a medidas tomadas ... Infelizmente, a presente, não", declarou.

Para Haddad, a reação dos juros futuro à substituição de uma regra fiscal "anacrônica" - ou seja, o teto de gastos - por um arcabouço "moderno" indica que a equipe econômica está no caminho certo.

A uma plateia de empresários da indústria, o ministro da Fazenda pontuou que o novo arcabouço atende às necessidades de país em desenvolvimento, ao mesmo tempo em que o Congresso se mostra "maduro" para reformar o sistema tributário, "grande vilão das baixas taxas de produtividade. "O Congresso está maduro e a sociedade, ansiosa por reforma tributária."

O ministro frisou que o objetivo do novo marco fiscal é uma regra estável, que o Estado saiba quanto pode investir, quanto pode gastar. "A coisa se tornou tão monstruosa que o estado não sabe quanto pode investir e gastar", disse. Já a reforma tributária, acrescentou, contribuirá para que os empresários possam se planejar no médio e longo prazo

"Estamos estimulando a reindustrialização a partir de perspectiva de futuro que olha para fiscal, ambiental e social", declarou o ministro, acrescentando que o Brasil vai voltar a crescer acima da média mundial como nos oito anos dos dois primeiros mandatos de Lula.