Campos Neto: câmbio está bastante relacionado a dólar forte, movimento é mais global que local

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse nesta quinta-feira, 28, que a recente elevação do dólar no mercado brasileiro está bastante relacionada ao fortalecimento da moeda norte-americana. "É mais um movimento global do que local", disse em uma resposta ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

De acordo com ele, há interpretações a serem feitas, mas que é importante entender qual vai ser o desenvolvimento da história.

Na sequência, fez uma série de perguntas: a taxa de juros americana vai subir mais? O Federal Reserve (Fed) vai voltar a subir juro? É um movimento mais estrutural? Está relacionado com o fiscal? Campos Neto ressaltou que, para o BC brasileiro, o mais importante é ver como essa movimentação do câmbio afeta as expectativas.

Também respondendo a um questionamento do Broadcast, o presidente do BC disse esperar que o perfil dos novos diretores da autoridade monetária seja técnico.

Pela lei da autonomia, dois membros da diretoria colegiada têm seus mandatos expirados até o fim de dezembro. "Não tenho mais o que falar sobre isso. É uma escolha do presidente (da República) e temos que aceitar", disse.