Bolsas de NY fecham em alta, com alívio em Treasuries; S&P 500 tem 7º pregão seguido de ganhos

As bolsas de Nova York fecharam em alta hoje, com o Nasdaq em destaque em meio à queda firme dos juros dos Treasuries. Os ganhos dos demais índices foram limitados principalmente pelo setor de energia, duramente penalizado pela forte desvalorização do petróleo.

No fechamento, o índice Dow Jones subiu 0,17%, a 34.152,60 pontos; o S&P 500 ganhou 0,28%, a 4.378,38 pontos; e o Nasdaq avançou 0,90%, a 13.639,86 pontos. S&P 500 teve a sétima sessão seguida de ganhos e o Nasdaq, a oitava - em ambos os casos, a mais longa sequência positiva desde o final de 2021.

Os papéis das techs emergiram na dianteira dos negócios em Wall Street, com Microsoft (+1,12%), Meta (+0,96) e Apple (+1,45%). O movimento refletiu o alívio contínuo na ponta longa dos Treasuries, ainda que dirigentes do Federal Reserve (Fed) tenham reforçado a mensagem de que a inflação está muito alta. A diretora Michelle Bowman, por exemplo, disse esperar mais altas de juros à frente, na contramão de boa parte dos colegas.

Na visão da CMC Markets, o foco dos mercados acionários de Nova York voltaram novamente à provável trajetória dos juros americano. O mercado continua precificando como majoritária a chance de o Federal Reserve (Fed) manter juros inalterados até março e começar a cortá-los em maio, de acordo com o CME Group.

Por outro lado, o City Index destaca as incertezas sobre as perspectivas monetárias do Fed. "O otimismo de que o Fed poderia estar em taxas máximas, o que impulsionou as ações em forte alta na semana passada, começou a desaparecer esta semana após comentários de dirigentes".

Também em destaque, os papéis de fornecedoras de software subiram fortemente, após a Datadog (+28,47%) informar que receita bem acima do esperado. Na esteira, as rivais Snowflake e MongoDB saltaram +10,66% e 11,04%, respectivamente.

Na contramão de tecnologia, as petrolíferas Chevron (-1,76%) e ExxonMobil (-1,57%) caíram em meio à desvalorização robusta do petróleo. A startup WeWork desabou 24,73, depois da notícia do pedido de recuperação judicial.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes