Para IBGE, alta na passagem aérea no IPCA pode ter relação com alta no querosene de aviação

A alta de 23,70% na passagem aérea foi responsável por praticamente 60% de toda a inflação no País em outubro. O item contribuiu com 0,14 ponto porcentual para a taxa de 0,24% apurada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de outubro, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Essa alta pode estar relacionada a alguns fatores, como aumento no preço do combustível, o querosene de aviação, e também a proximidade de feriados e férias de fim de ano", justificou André Almeida, analista do Sistema Nacional de Índices de Preços do IBGE.

Por outro lado, a queda de 1,53% na gasolina ajudou a segurar a inflação no mês, um impacto negativo de 0,08 ponto porcentual. "Não fosse a queda na gasolina, o IPCA teria sido maior", confirmou Almeida.

Os combustíveis ficaram 1,39% mais baratos em outubro. Além da gasolina, recuaram também o gás veicular (-1,23%) e o etanol (-0,96%). Já o óleo diesel teve alta de 0,33%.

Ainda em Transportes, o táxi aumentou 1,42%, devido a reajustes de 20,84% em Porto Alegre a partir de 09 de outubro e de 6,67% em São Paulo a partir de 28 de outubro.

Os gastos das famílias com Transportes passaram de um aumento de 1,40% em setembro para elevação de 0,35% em outubro. O grupo contribuiu com 0,07 ponto porcentual para a taxa de 0,24% registrada pelo IPCA de outubro.

Apesar da redução dos preços em outubro, Almeida lembra que a gasolina acumula uma alta de 14,40% no ano, item de maior impacto no IPCA do período, uma pressão de 0,67 ponto porcentual.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes