Bolsas da Europa fecham em alta, com aposta de fim do aperto monetário no Reino Unido

As bolsas europeias fecharam esta quarta-feira, 15, em alta, com o mercado otimista com o menor nível em dois anos da inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Reino Unido (+4,6% em outubro anualmente). Investidores apostam que o Banco da Inglaterra (BoE) não deve seguir com as altas nos juros e precificam um primeiro corte de 25 pontos-base em junho.

Por outro lado, a Comissão Europeia divulgou projeções revisando para baixo o crescimento da zona do euro em 2023 e 2024, devido à menor demanda externa, aperto monetário e elevado custo de vida. A expectativa agora é de que o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresça 0,6% neste ano (ante 0,8% esperados em setembro) e 1,2% (ante 1,3%).

O Banco do Povo da China (PBoC) divulgou nesta quarta-feira que manteve importantes taxas de juros inalteradas, enquanto injetou dinheiro no mercado, trazendo maior liquidez, o que deve aliviar a demanda por dinheiro.

A produção industrial do gigante asiático superou as expectativas, subindo 4,6% anualmente em outubro, e as vendas no varejo avançaram 7,6% na mesma base de comparação, também acima do esperado.

Já as vendas de imóveis e o investimento imobiliário na China pioraram nos primeiros dez meses do ano, apesar das medidas de Pequim para reverter a prolongada crise imobiliária.

Dentre as ações, o destaque fica para Renault (+2,03%), Infineon (+8,97%) e Alstom (15,21%).

A francesa Ampere, empresa de veículos elétricos e software da Renault que se prepara para um IPO, disse que está visando receita de mais de 10 bilhões de euros em 2025, enquanto se prepara para competir com carros menos caros da China e da Tesla. A Ampere espera break even do lucro e fluxo de caixa livre em 2025 e visa margem operacional de mais de 10% a partir de 2030, além de ter a meta, para 2031, de vender 1 milhão de veículos e receita de mais de 25 bilhões de euros.

Já a fabricante de chips alemã Infineon superou as expectativas de lucro do terceiro trimestre e deu guidance positivo para 2024, em meio a forte demanda por semicondutores. As ações Alstom, por sua vez, despencaram depois que a fabricante francesa de trens anunciou que cortaria 1.500 empregos e venderia ativos, enquanto busca fortalecer seu balanço.

Os papéis do UBS subiram mais de 2% na Suíça com a notícia de que a instituição financeira não terá de pagar cerca de US$ 2 bilhões em multa depois de o Supremo Tribunal francês ter anulado parcialmente uma decisão de instância inferior a respeito de um caso de fraude fiscal.

Em Londres, o FTSE 100 fechou com ganhos de 0,62%, aos 7486,91 pontos. Em Frankfurt, o DAX subiu 0,86%, aos 15748,17 pontos. Em Paris, o CAC 40 ganhou 0,33%, aos 7209,61 pontos. Em Madri, o Ibex 35 subiu 0,18%, aos 9640,70 pontos. Em Milão, o FTSE MIB subiu 0,42%, aos 29466,93 pontos. Na contramão, o PSI 20, de Lisboa, caiu 0,65%, aos 6298,79 pontos. As cotações são preliminares.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes