Petróleo fecha em queda, pressionado por dólar e após alta de estoques dos Estados Unidos

O petróleo fechou em baixa nesta quarta-feira, 15,, pressionado pelo dólar e pela alta dos estoques da commodity nos Estados Unidos, e analistas alertam para tendência baixista dos preços.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para dezembro fechou em queda de 2,04% (US$ 1,60), a US$ 76,66 o barril, enquanto o Brent para o janeiro de 2024 negociado na Intercontinental Exchange (ICE), fechou em baixa de 1,56% (US$ 1,29), a US$ 81,18 o barril.

Entre os indicadores de hoje, o Departamento de Energia dos Estados Unidos informou que os estoques de petróleo subiram mais de 3 milhões na semana passada, acima dos 800 mil previstos pela FactSet. Entretanto, tanto os estoques de gasolina quanto os de destilados tiveram quedas maiores que o previsto.

Na visão da Oanda, o preço do petróleo parece estar "fixo" em torno de US$ 84 o barril para o Bent e de US$ 80 o barril para o WIT. "Isto é próximo das mínimas de outubro no WTI e talvez seja um sinal de que os investidores não se tornaram menos pessimistas, apesar dos dados promissores sobre a inflação e da melhoria das perspectivas de um pouso suave", indica.

Ainda, segundo análise, considerando a queda de mais de 10% nos preços desde o pico de setembro, é necessário questionar se a Arábia Saudita e a Rússia se sentirão compelidas a prolongar os seus cortes para além do final do ano. "A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) tentou recentemente reagir às expectativas pessimistas, mas claramente sem sucesso. Embora possam não estar muito preocupados com os atuais níveis de preços, a tendência irá deixá-los desconfortáveis".

Já o Activtrades avalia que a tendência baixista de médio prazo se mantém para o petróleo e "é possível que a commodity rompa suas mínimas, podendo operar a US$ 70 o barril, no caso do WTI, e US$ 75 o barril, no caso do Brent.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes