Bolsas da Ásia fecham sem direção única após ata do Fed reforçar preocupações sobre inflação

As bolsas da Ásia fecharam sem direção única nesta quarta-feira, 22, após ata do Federal Reserve (Fed) ter reforçado preocupações sobre inflação nos Estados Unidos, em uma semana mais curta em Wall Street por conta do feriado americano de Ações de Graças.

Na China, o índice Xangai composto encerrou a sessão em baixa de 0,79%, a 3.043,61 pontos, na mínima do dia, enquanto a referência dos negócios em Shenzhen, menos abrangente, recuou 1,41%, a 9.855,66 pontos. Em Hong Kong, o Hang Sang ficou estável em 17.734,60 pontos. Já o Taiex, de Taiwan, cedeu 0,61%, a 17.310,26 pontos.

Na terça-feira, a ata do Fed mostrou que dirigentes consideram prematura declarar vitória contra os desequilíbrios inflacionários. Segundo o documento, os integrantes do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) não descartam a possibilidade de mais aperto monetário à frente, caso não haja progressos no processo de retomada da estabilidade de preços.

Ainda assim, o mercado mantém a aposta majoritária de que o Fed não voltará a subir juros no ciclo atual e começará a cortá-los a partir de maio do ano que vem, conforme indica monitoramento do CME Group.

Neste cenário, o índice Nikkei, de Tóquio, avançou 0,29%, a 33.451,83 pontos. Na Coreia do Sul, o Kospi, de Seul, ganhou 0,05%, a 2.511,70 pontos.

Durante a madrugada, Israel anunciou acordo com o grupo palestino extremista Hamas que prevê a libertação de 50 reféns, em troca de um cessar-fogo de 4 dias. O governo israelense, no entanto, reafirmou os planos de eliminar as ameaças ao país na Faixa de Gaza.

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200, de Sydney, perdeu 0,07%, a 7.073,40 pontos, com pressão no setor de consumo.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes