Reforma administrativa seria importante, mesmo sem economia no curto prazo, diz Campos Neto

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, defendeu nesta quarta-feira, 22, que uma reforma administrativa seria importante, mesmo sem uma economia imediata. "Quando pensamos em termos de valor presente de credibilidade, quando os agentes econômicos entendem que uma reforma fará com que o crescimento da despesa caia lá na frente, parte desse benefício é incorporado no valor presente", ponderou.

Campos Neto listou que os três principais gastos do Brasil são com a Previdência, a máquina e os juros da dívida.

O banqueiro afirmou que a reforma da previdência talvez também precise ser revisada em breve, diante do envelhecimento da população, e que os juros da dívida são mais causa do que consequência. "Obviamente precisamos trabalhar para ter os juros mais baixos possíveis."

O presidente do BC participou de café da manhã com a Frente Parlamentar pelo Livre Mercado, no Senado Federal.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes