Petróleo fecha em alta, em meio às especulações sobre Opep e após tempestade no Mar Negro

O petróleo fechou em alta na sessão desta quarta-feira, 29, em meio a relatos de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) estaria considerando implementar na quinta-feira, 30, na sua reunião, novos cortes de produção. O mercado também avalia o impacto da recente tempestade na região do Mar Negro, que interrompeu operações locais do setor petrolífero.

O petróleo WTI para janeiro de 2024 fechou em alta de 1,89% (US$ 1,45), a US$ 77,86 o barril. O Brent para fevereiro, negociado na Intercontinental Exchange (ICE), subiu 1,73% (US$ 1,41), a US$ 82,88 o barril.

A Opep+ estaria discutindo a possibilidade de determinar cortes de produção adicionais de 1 milhão de barris por dia, reportou a Dow Jones Newswires, citando fontes. No entanto, haveria uma "resistência significativa" contra essa proposta dentro do cartel, ainda segundo a agência de notícias.

O resultado mais provável do encontro seria o prolongamento dos cortes já existentes, falaram as fontes. A Arábia Saudita seria a favor dos novos cortes, enquanto os Emirados Árabes, Nigéria e Angola, continuariam relutantes. A veiculação da notícia deu impulso ao preço do petróleo, que já operava em alta antes.

O analista Fawad Razaqzada, da City Index, diz que a movimentação do mercado indica que os investidores claramente esperam que a Opep+ estenda seus cortes em 2024. Razaqzada ainda espera que as negociações avancem e pelo menos Arábia Saudita e Rússia prolonguem suas restrições voluntárias, mesmo depois dos relatos de desentendimento dentro do grupo e do adiamento da reunião (que inicialmente ocorreria no domingo, 26).

O analista Michael Hewson, da CMC Markets, citou ainda a tempestade que atingiu o Mar Negro nesse fim de semana como um fator de preocupação para a oferta, sobretudo na Rússia e no Casaquistão.

A Reuters noticiou que o fenômeno interrompeu as exportações de 2 milhões de barril por dia desses dois países.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora