Setor externo tem déficit US$ 230 mi, melhor resultado para outubro desde 2006, diz BC

O resultado das transações correntes ficou negativo em outubro deste ano, em US$ 230 milhões, informou nesta segunda-feira, 4, o Banco Central. Este é o melhor desempenho para meses de outubro desde 2006, quando o saldo foi positivo em US$ 1,296 bilhão. Em setembro, o resultado foi deficitário em US$ 1,375 bilhão.

O saldo negativo da conta corrente em outubro ficou menor que a mediana do levantamento realizado pelo Projeções Broadcast, que apontava para déficit de US$ 950 milhões. O intervalo ia de déficit de US$ 2,60 bilhões a superávit de US$ 1,10 bilhão.

Pela metodologia do Banco Central, a balança comercial registrou saldo positivo de US$ 7,372 bilhões em outubro, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 3,548 bilhões.

A conta de renda primária também ficou deficitária, em US$ 4,223 bilhões. No caso da conta financeira, o resultado ficou positivo em US$ 169 milhões.

Acumulado

No ano até outubro, a conta corrente teve rombo de US$ 20,847 bilhões. Em 12 meses, o saldo das transações correntes está negativo em US$ 33,976 bilhões, o que representa 1,62% do Produto Interno Bruto (PIB).

A estimativa atual do BC é de déficit na conta corrente de US$ 36 bilhões em 2023, conforme o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de setembro.

Lucros e dividendos

A rubrica de lucros e dividendos do balanço de pagamentos apresentou saldo negativo de US$ 2,843 bilhões em outubro, informou o Banco Central.

A saída líquida é inferior aos US$ 3,498 bilhões que deixaram o Brasil em igual mês de 2022, já descontadas as entradas. O BC informou também que as despesas com juros externos somaram US$ 1,413 bilhão em outubro, ante US$ 1,079 bilhão em igual mês do ano passado.

No ano até outubro, o saldo de lucros e dividendos é negativo em US$ 36,482 bilhões e o gasto com juros é de US$ 21,618 bilhões.

Viagens internacionais

De acordo com o BC, a conta de viagens internacionais registrou déficit de US$ 679 milhões em outubro. O valor reflete a diferença entre o que os brasileiros gastaram lá fora e o que os estrangeiros desembolsaram no Brasil no período. Em outubro de 2022, o déficit nessa conta foi de US$ 653 milhões.

O desempenho da conta de viagens internacionais em outubro foi determinado por despesas de brasileiros no exterior, que somaram US$ 1,329 bilhão. Já o gasto dos estrangeiros em viagem ao Brasil ficou em US$ 650 milhões em outubro.

No acumulado de 2023, o saldo líquido da conta de viagens ficou negativo em US$ 6,637 bilhões. No mesmo período do ano passado, o déficit nessa conta foi de US$ 6,017 bilhões.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes