Petróleo fecha em baixa expressiva, após sauditas reduzirem preços para determinados países

O petróleo fechou em queda expressiva nesta segunda-feira, 8, após a estatal petrolífera da Arábia Saudita reduzir preços da commodity para clientes de determinados países. As tensões geopolíticas, que vinham apoiando as cotações, assumiram o segundo plano nesta sessão.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para fevereiro de 2024 caiu 4,12% (-US$ 3,04), a US$ 70,77 o barril, enquanto o Brent para março, negociado na Intercontinental Exchange (ICE), cedeu 3,35% (US$ 2,64), a US$ 76,12o barril.

A petroleira Saudi Aramco decidiu cortar os preços do petróleo para clientes de todas as regiões - incluindo a Ásia, o seu maior mercado. O barril de petróleo da Aramco cairão US$ 2 em fevereiro ante janeiro para compradores da Ásia e também dos EUA, Segundo tabela publicada pela Dow Jones Newswires.

A Marex classificou o anúncio da petroleira foi classificado como "bearish" - ou seja, que tende a pressionar preços para baixo. Enquanto isso, "apesar de a situação no Oriente Médio permanecer tensa, o mercado parece estar respirando mais aliviado devido ao fato de que não houve nenhum grande desdobramento nesse fim de semana", acrescentou a consultoria em nota a clientes.

O TD Securities disse que os mercados de energia parecem "significativamente subvalorizados" em meio ao aumento nos riscos geopolíticos. Entretanto, acrescentou que a escalada nas intervenções militares no Oriente Médio sugerem convexidade altista.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes