Banco Mundial: cortes de juros na América Latina abrem caminho para recuperação do crescimento

O Banco Mundial prevê uma aceleração do crescimento da economia da América Latina e Caribe, enquanto o contínuo alívio na inflação abre espaço para uma campanha de relaxamento monetário nos maiores países da região. No relatório Prospectos da Economia Global, a instituição melhorou as projeções para o desempenho da atividade regional este ano.

A entidade estima que o Produto Interno Bruto (PIB) latino-americano tenha avançado 2,2% em 2023, 0,7 ponto porcentual acima da previsão anterior, de junho. O Banco também elevou as estimativas para a alta do PIB em 2024 (de 2,0% para 2,3%), mas reduziu as de 2025 (de 2,6% para 2,5%).

O Banco Mundial prevê que a atividade na Argentina registre expansão de 2,7% em 2024 e de 3,2% em 2025, após contração de 2,5% em 2023. Ainda assim, o país continua enfrentando incertezas elevadas em meio à escalada da inflação e ao derretimento do peso argentino. "Há também pouca margem de manobra para que os gastos fiscais apoiem a atividade, uma vez enquanto o governo busca abordar questões prementes de sustentabilidade fiscal", avalia.

No México, a expectativa é por um crescimento de 2,6% este ano e de 2,1% no próximo, após alta estimada de 3,6% em 2023.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes