Bolsas de NY fecham sem direção única, à espera de dados de inflação, com Nasdaq no azul

As Bolsas de Nova York fecharam sem direção única nesta sessão, depois dos fortes ganhos de ontem. Os mercados estão em compasso de espera pela publicação de dados de inflação nos EUA, enquanto ajustam apostas sobre quando começará o ciclo de cortes de juros no país.

O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,42%, aos 37.525,16 pontos; o S&P 500 recuou 0,15%, aos 4.756,50 pontos; e o Nasdaq subiu 0,09%, aos 14.857,71 pontos.

"A atenção continua voltada para os dados de inflação que serão divulgados ainda nesta semana CPI na quinta-feira, 11, e PPI na sexta-feira, 12 e oferecerão mais pistas sobre a trajetória do Federal Reserve (Fed) em relação às taxas de juros", observou a City Index em relatório.

O setor bancário foi um dos que mais operaram sob pressão. As ações dos grandes bancos Goldman Sachs, Morgan Stanley, Wells Fargo e Bank of America caíram todas mais de 1%. Há expectativa pelo começo da temporada de balanços do setor, na sexta-feira, quando serão revelados os números de JPMorgan e outros.

O papel da Boeing caiu 1,41%, depois do tombo de 8% ontem, associado à explosão de parte de uma aeronave e à suspensão de voos com o avião 737 MAX 9 nos EUA. Hoje, reguladores americanos mantiveram a suspensão temporário.

Principal fornecedora da Boeing, a Spirit AeroSystems Holdings perdeu 0,41%, ante queda de 11% ontem.

A Fitch afirmou, em relatório divulgado hoje, que a proibição deverá ser neutra para os ratings da fabricante de aviões e ter efeitos de curto prazo limitados em outras empresas relacionadas ao setor de aviação. A exposição desses players ao modelo citado é relativamente baixa e há um caminho claro para ação corretiva, diz o comunicado da agência de classificação de crédito.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes