Produção de veículos cai em dezembro e fecha 2023 com recuo de 1,9% ante 2022, diz Anfavea

A produção de veículos recuou 10,4% em dezembro do ano passado frente ao mesmo período de 2022. No total, 171,6 mil veículos foram montados no País, entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus. Na comparação com novembro de 2023, a queda foi de 15,3%.

O balanço foi divulgado nesta quarta-feira, 10, pela Anfavea, a entidade que representa as montadoras.

O resultado de dezembro leva para 2,32 milhões de veículos a produção em todo o ano passado. Com isso, 2023 terminou com queda de 1,9% da produção em relação ao ano anterior.

Fatores

O desempenho foi prejudicado pelo tombo das exportações, além do cuidado das montadoras com o controle dos estoques no primeiro semestre, quando a demanda só reagiu após os descontos patrocinados pelo governo entre junho e julho.

O número confirma a dificuldade da indústria automotiva de se recuperar do impacto da pandemia, que foi seguida por uma crise no fornecimento de componentes eletrônicos. Em 2019, as montadoras produziram 620 mil veículos a mais do que no ano passado.

A produção também terminou 2023 pior do que as previsões da Anfavea no início do ano, que apontavam para crescimento de 2,2%.

Vendas

Puxadas por locadoras, que compraram 75 mil carros, 30 mil a mais do que a média do ano, as vendas de veículos no Brasil em dezembro, de 248,6 mil unidades, foram as maiores de um mês dos últimos quatro anos. Ou seja, desde o início da pandemia não se registrava um volume tão alto.

O crescimento das vendas na comparação com dezembro de 2022 foi de 14,6%. Frente a novembro, a alta foi de 16,9%, ajudando a reduzir significativamente os estoques nos pátios de fábricas e concessionárias: de 251,5 mil para 210,1 mil unidades em um mês.

No balanço final de 2023, as vendas tiveram aumento de 9,7% contra 2022, totalizando 2,31 milhões de unidades.

Exportações

Por outro lado, as exportações seguem fracas, caindo em dezembro para 25,7 mil unidades, 17,7% a menos do que em igual mês de 2022. Contra novembro, houve alta de 6,7% nos embarques, insuficiente, porém, para mudar a queda de 16% acumulada no ano inteiro, com 403,9 mil veículos embarcados durante os doze meses.

O forte crescimento de 51% das vendas ao México, que se tornou o principal destino das montadoras, compensou apenas em parte as perdas da indústria automotiva na Argentina, para onde as exportações caíram 16%, além da Colômbia e do Chile, que reduziram em mais de 50% as compras de carros brasileiros.

Emprego

O balanço da Anfavea, divulgado com atraso em relação ao horário tradicional (10 horas) por conta da correção de um erro identificado pouco antes da publicação, mostra ainda que as montadoras eliminaram 2,2 mil vagas de trabalho em dezembro, levando para 3 mil o total de postos extintos durante o ano. As fábricas de veículos terminaram 2023 empregando 98,9 mil pessoas.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes